Estado

Grande Natal é a quarta região mais violenta do mundo, destaca El País

Do El País:

Fábio caiu às 18h40 do sábado, 10 de março. Àquela hora, a praça do bairro de Bom Pastor, na periferia de Natal, capital do Rio Grande do Norte, estava lotada. Seu corpo teve 12 perfurações de bala: cinco na cabeça, uma na mão, uma na perna, duas no abdômen e três nas costas. Os assassinos agiram rápido, assim que ele desceu da moto. No chão, já sem vida, ele deitava ainda de capacete na calçada, ao lado de aparelhos de ginástica da Prefeitura usados como brinquedo pelas crianças do bairro. Diversão interrompida, elas agora rodeavam o cadáver.

“Foi pá-pá. Pápápápápá”, reproduz um dos moradores enquanto olha corpo no chão. Neste espetáculo macabro, encenado em uma região com poucas opções de lazer, a sonoplastia serve para explicar que os criminosos usaram dois tipos de armas, que faziam barulhos diferentes. Por ali, os tiros fazem parte do cotidiano e são reconhecidos pelo som.

À margem dos holofotes da intervenção militar na segurança pública no Rio de Janeiro, onde a vereadora do PSOL Marielle Franco foi executada há um mês, o Rio Grande do Norte também amarga estatísticas de violência sombrias. No ano passado, o Estado bateu seu recorde histórico de homicídios. E a Grande Natal chegou ao posto de quarta região mais violenta do mundo, com uma taxa de 107 mortes para cada 100.000 habitantes, segundo dados divulgados no mês passado pela organização mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça. A região perde apenas para Los Cabos (México), Caracas (Venezuela) e Acapulco (México). O ranking é contestado pelo Governo do Rio Grande do Norte (leia abaixo).

Apenas no ano passado, foram assassinadas, em média, quase quatro pessoas por dia nesta área, que envolve a capital e 12 municípios do entorno. Um número alto, se considerada a pequena população de 1,3 milhão de habitantes (um nono do tamanho da capital paulista, por exemplo, onde nove pessoas foram assassinadas ao dia no ano passado). A alta das mortes na região metropolitana é impulsionada pela combinação entre uma inflamada guerra de facções pelo controle do tráfico de drogas — de um lado está a paulista Primeiro Comando da Capital (PCC) e, de outro, a potiguar Sindicato do Crime RN— e o pouco investimento em segurança pública.

Tudo é escasso ali. “Para começar, faltam políticas sociais para atacar as taxas de evasão escolar e resolver os bolsões de pobreza. Falta um sistema penitenciário menos vulnerável, de onde não fujam mais de 500 presos, como ocorreu no ano de 2016. Falta efetivo, especialmente da Polícia Civil. E faltam equipamentos para as provas técnicas”, afirma Ivenio Hermes, coordenador de pesquisa do Observatório da Violência Letal Intencional no Rio Grande do Norte, instituição ligada à Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), que mapeia os homicídios no Estado.

Em todo o Rio Grande do Norte só há 28% dos policiais civis necessários, segundo determina uma lei estadual. São 176 delegados, 2.934 agentes de polícia e 612 escrivães a menos. “É como se estivéssemos em permanente estado de greve”, afirma Nilton Arruda, presidente do Sindicato da Polícia Civil (Sinpol). A Polícia Militar também tem menos homens do que o necessário: são 8.200, quando o ideal seria um efetivo de 12.000.

Além disso, muitas vezes faltam até salários, mesmo em meio à escalada da violência. Com o pagamento atrasado por dois meses, policiais chegaram a paralisar as atividades entre 19 de dezembro do ano passado e 10 de janeiro deste ano. “Não fizemos greve. Paramos porque faltou dinheiro para pagar a condução para ir trabalhar e para comer”, afirma Arruda. “Como se coloca na rua um policial que está com problemas de pagamento, com dívidas em casa? Um psicológico desequilibrado pode levar a escolhas incorretas”, complementa. Em 6 de janeiro deste ano, o Governo chegou a decretar estado de calamidade no sistema de Segurança Pública, devido ao aumento de violência ocorrido em meio à paralisação. O Governo federal enviou homens do Exército para reforçar a segurança —a ajuda federal já aconteceu por três vezes no Rio Grande do Norte.

Os extermínios

Naquele sábado de março, além de Fábio morreram José, Lúcio, Anderson, Beto e João —nomes fictícios para resguardar as famílias, que ainda vivem nas áreas dos crimes. Todos homens e moradores de algum ponto da periferia da Grande Natal. As 63 perfurações de bala que seus corpos receberam em conjunto deixam claro o perfil destas mortes: execuções a sangue frio. Além dos muitos tiros, algumas vezes, como demonstração de poder, os algozes também esquartejam ou degolam os corpos, como ocorreu em janeiro do ano passado no presídio de Alcaçuz, quando 26 presos do Sindicato do Crime foram decapitados por homens do PCC.

As mortes também não têm local ou hora para acontecer. Os assassinos nem se acanham se houver público, tamanha a certeza de que em meio ao medo da população dificilmente alguém ajudará a descobrir o culpado. Em apenas 45% dos crimes o autor é descoberto. Seis em cada dez homicídios estão relacionados com as drogas: seja pela disputa do tráfico, por dívidas ou porque se viu ou falou algo que não deveria.

Naquele sábado, eram 9h quando o rádio da polícia que comunica as ocorrências chiou pela primeira vez. O plantão da Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) de Natal havia começado havia pouco mais de uma hora. Do outro lado da linha, veio o aviso que um homem havia sido assassinado em uma rua de Nossa Senhora da Apresentação, o bairro com maior número de mortes violentas da cidade, segundo o delegado diretor da DHPP, Marcos Vinicius dos Santos. A reportagem do EL PAÍS acompanhou aquele plantão, no dia da semana em que geralmente mais se mata por ali.

O corpo era de José, de 32 anos. Ele deitava de barriga para cima, embaixo de um lençol. Estava havia quase duas horas no meio da via, entre as entradas de um mercadinho e de uma pequena papelaria. Dezenas de homens, mulheres e crianças curiosas o rodeavam. Catador de materiais recicláveis, ele ia de bicicleta até a casa da mãe quando foi surpreendido por dois homens em uma moto, que sem aviso começaram a atirar. Seu corpo foi perfurado seis vezes. Era o terceiro, dentre 12 irmãos, a morrer assassinado.

Logo no início da tarde, o rádio apitou novamente. Lúcio tinha morrido no hospital Walfredo Gurgel, para onde foi levado após ser alvejado por assassinos quase na porta de casa. Eram 14h15 e ele entrava na oficina do vizinho quando um carro freou e dois homens desceram atirando. Seu filho, de 10 anos, se escondeu. Mas viu quando o pai foi alvejado pelos tiros. “Acertaram meu pai! Mataram meu pai!”, gritou o menino, contou Wellington Freire Júnior, dono da oficina. Lúcio era segurança e trabalhava à noite, em eventos. Teve 14 perfurações de bala: cinco no peito, uma no pescoço, uma no braço e sete nas costas. Chegou ao hospital já morto.

Anderson, 26 anos, terceira vítima naquele plantão, foi assassinado a 40 quilômetros de Natal, no município de Macaíba. Por volta de 18 horas, dois homens chegaram ao bar onde ele bebia uma cachaça Corote e anunciaram um assalto. Mas não levaram nada. Apenas atiraram nele. Seis vezes. “Acho que foi engano. Ele não era metido com nada. Só bebia de final de semana, não devia nada a ninguém”, dizia a esposa, aos prantos. Já o pescador Beto, de 29 anos, morreu no quintal da própria casa, por volta de 23h, na turística praia de Pitangui, no município de Extremoz: foram sete tiros na cara e 12 nas costas. Por volta de 1h do domingo morreu João, vigia de rua no bairro das Rocas, um dos mais antigos de Natal —fazia uma ronda em sua moto quando foi atingido: foram dez perfurações no total. João se tornaria pai neste mês.

A maior parte destas mortes aconteceu em público. Mas ninguém, em nenhum desses locais, diz ter visto o crime acontecer. Apenas em um caso se sabia o modelo do veículo utilizado e, em outro, como se vestiam os assassinos. O medo e o silêncio imperam. Nem as famílias das vítimas tinham pistas que poderiam ajudar a explicar o motivo das mortes. “Essa é a maior dificuldade das investigações. As pessoas têm muito medo de falar. De dar qualquer informação que ajude a polícia”, explica o delegado Marcos.

“Se alguém aqui disser quem matou, morre também. Eles te matam mesmo. Aqui a gente já está acostumado: ouve os tiros e se esconde dentro de casa para não correr nem o risco de ver”, resumiu uma das parentes das vítimas. Uma palavra errada —ou até uma visita desconhecida que possa levantar suspeitas de ser policial— pode ser o motivo para um novo crime brutal. Por ali, todos já viram isso acontecer. “Quando se tem dinheiro, se consegue mudar, sair. Mas eu não tenho. Não fiz nada de errado, não me envolvi com nada e, infelizmente, pode ser que amanhã eu seja mais um número para as estatísticas”, lamenta o dono da oficina onde ocorreu uma das mortes.

Política

Memorial Itinerante Wilma de Faria chega a João Câmara

O resgate histórico da trajetória de luta e o protagonismo feminino da professora e ex-governadora Wilma de Faria chega à cidade de João Câmara com a 6ª edição do Memorial Itinerante a partir desta quarta-feira (18) no Casa de Cultura Popular Gumercindo Saraiva, no Centro.

A abertura da exposição acontece nesta quarta-feira (18), excepcionalmente, das 19 horas às 21 horas. Entre os dias 19 e 20, respectivamente, quinta e sexta, a exposição segue com visitação gratuita das 8h às 17h.

A iniciativa reconta a história da vida pública, e de forma delicada e intimista, traz um olhar próximo da vida pessoal de Wilma de Faria.

Política

Prefeito de Currais Novos será investigado por suspeita de abuso de poder econômico na eleição de 2016

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte reformou decisão de primeira instância e determinou a continuidade da investigação por suspeita de abuso de poder econômico por parte do atual prefeito de Currais Novos, Odon Júnior (PT), quando candidato em 2016.

A Procuradoria Regional Eleitoral deu parecer pela investigação.

Poder

TJ só vai pagar licenças-prêmio não usufruídas por magistrados do Poder Judiciário potiguar após decisão do STF

NOTA OFICIAL

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte não vai realizar o pagamento de licenças-prêmio não usufruídas por magistrados do Poder Judiciário potiguar. A Portaria 506/2018 da Presidência do TJRN, publicada, nesta segunda-feira (16), determina o indeferimento e arquivamento de todos os requerimentos de concessão de licença-prêmio e/ou conversão em pecúnia de períodos de licença-prêmio não usufruídos pelos membros do Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Norte. A medida prevalece até o julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 1059466 pelo Supremo Tribunal Federal.

A Resolução 11/2018-TJ, aprovada pelo Corte Estadual de Justiça em 11 de abril, disciplinou a concessão de licença-prêmio para membros da magistratura. O texto apenas normatiza requisitos diante dos quais magistrados podem requerer a transformação da licença-prêmio em pecúnia, inclusive quanto ao tempo. A medida observa a legislação estadual vigente e uma situação que carecia de regulamentação. Esse usufruto quando ocorrer, atenderá à norma legal estabelecida.

A Resolução, portanto, detalha o disposto no § 15 do artigo 107 da Lei Complementar Estadual nº 165, de 28 de abril de 1999, com a redação dada pelo art. 2º da Lei Complementar Estadual nº 606, de 11 de dezembro de 2017. E também leva em consideração o previsto no artigo 191 da Lei Complementar Estadual nº 141, de 09 de fevereiro de 1996.

Vale ressaltar que o Tribunal de Justiça do Rio do Norte editou a Portaria 84/2018, de 26 de janeiro deste ano, que estabelece a contenção de gastos no Poder Judiciário potiguar. Neste momento, não está em pauta a possibilidade dessa conversão.

Esta norma suspende, até posterior determinação, os pagamentos de conversão de férias e/ou licença-prêmio em pecúnia de magistrados e servidores da Justiça potiguar.

A resolução aprovada pela Corte tratou de regulamentar uma situação legal, prevista na legislação estadual.

O usufruto da pecúnia não integra prioridades ou meta da Presidência do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte.

PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE

Política

Carlos Eduardo entra em campo

Pré-candidato a governador, Carlos Eduardo (PDT) já retomou as conversas políticas e articulações após sete dias de descanso.

No domingo (15), se reuniu com os senadores Garibaldi Filho (MDB) e José Agripino (DEM), com a presença também do prefeito Álvaro Dias (MDB).

E a semana será de conversas com partidos, prefeitos e lideranças.

Nos próximos dias Carlos Eduardo também já vai cumprir agenda pelo interior.

Cultura

Senado homenageia centenário de Dom Nivaldo Monte

O Senado realizou, nesta segunda-feira (16) uma sessão especial de homenagem “in memoriam” ao arcebispo de Natal, Dom Nivaldo Monte, pela passagem do centenário do seu nascimento, comemorado em março. A sessão aconteceu a pedido da senadora Fátima Bezerra.

Para a autora da proposta, Dom Nivaldo sempre trabalhou para que o povo mais carente do estado conquistasse melhores condições de vida. “Ele era possuidor de uma inteligência admirável e sempre esteve a serviço de uma sociedade nova, mais solidária e fraterna. Estamos falando de alguém que dedicou uma vida inteira aos ensinamentos contidos no evangelho e à população mais necessitada do estado”, afirmou Fátima.

Além da proponente, participaram da sessão especial os senadores Garibaldi Alves Filho e Agripino Maia; a reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Ângela Paiva; o ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça e representante da Academia Norte-rio-grandense de Letras, José Augusto Delgado; e o Cônego José Mário de Medeiros.

Garibaldi registrou que Dom Nivaldo ingressou ainda adolescente no Seminário de São Pedro, em Natal, sendo ordenado padre no início de 1941. Depois de passar pelas paróquias de São Gonçalo do Amarante e de Goianinha, foi transferido para Natal. Na capital, engajou-se nas causas sociais, como assistente do Secretariado Arquidiocesano de Ação Social, a partir de 1946. Entre os anos de 1965 e 1988 foi Arcebispo de Natal. Antes, foi bispo auxiliar de Aracaju (SE) e administrador apostólico em Natal.

O senador José Agripino citou algumas das qualidades demonstradas por Dom Nivaldo, como o seu temperamento conciliador e afável. “Ele era o pastor, era um homem caridoso, era um homem de fé e era um homem acima do seu tempo”, testemunhou. Agripino elogiou o então prefeito Carlos Eduardo Alves por ter dado ao Parque da Cidade de Natal o home de Dom Nivaldo Monte. “Nada mais justo, pois ao deixar o arcebispado ele exerceu, em Emaús, sua vocação de botânico”.

Sessão

Cotidiano

Instituto Juvino Barreto celebra 76 anos com feijoada concorrida

O domingo foi de festa no Instituto Juvino Barreto pela comemoração dos 76 anos de história em favor dos idosos do Rio Grande do Norte. Através de uma campanha, criada para ajudar a instituição e comemorar todos esses anos de muita luta e conquistas, foram comercializadas camisetas e realizada a feijoada, que reuniu mais de 300 participantes. Na ocasião, a Rainha da Melhor Idade 2018, Mariana Dantas Medeiros (96 anos) foi apresentada a todos.

O evento contou com a participação de autoridades, como o vice-governador Fábio Dantas, os deputados estaduais Cristiane Dantas e Hermano Morais, a secretária estadual de Educação, Claudia Santa Rosa, além dos vereadores Preto Aquino, Robson Carvalho e Sueldo Medeiros.

A instituição filantrópica luta contra as dificuldades sem perder a liberdade de desenvolver ações voltadas aos mais carentes, sempre com a esperança em dias melhores.

Política

PF instaura inquérito e perícia analisa danos após invasão a triplex atribuído a Lula em Guarujá

Informações do G1

A Polícia Federal instaurou, na tarde desta segunda-feira (16), um inquérito para apurar a invasão ocorrida no triplex atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Guarujá, no litoral de São Paulo. Peritos foram ao apartamento para avaliar eventuais danos e o defensor dos manifestantes já se apresentou na delegacia.

Aproximadamente 50 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e da Frente Povo Sem Medo invadiram o Edifício Solaris, localizado na orla da Praia das Astúrias, no início da manhã. Eles permaneceram no imóvel por quatro horas e o desocuparam após negociações com equipes da Polícia Militar, que acompanharam o ato.

Como o apartamento foi bloqueado pela Justiça e está sob responsabilidade da União, para ser leiloado em maio, cabe à Polícia Federal investigar o ocorrido, que não deixou feridos, apesar do tumulto. Nesta tarde, os policiais militares apresentaram a ocorrência na Delegacia da PF em Santos (SP), responsável por toda a região.

Ao G1, a Polícia Federal afirmou que enviou peritos ao edifício para avaliar eventuais danos ocasionados durante a invasão. Preliminarmente, a equipe constatou que a porta principal foi arrombada. A delegada responsável pelo caso instaurou um inquérito de “esbulho possessório”, quando há uma invasão violenta a um bem alheio.

Ainda nesta tarde, além dos policiais militares, um advogado que representa os movimentos sociais participantes da invasão também se apresentou na Delegacia da PF em Santos, para prestar esclarecimentos sobre o fato. O imóvel foi lacrado enquanto ocorre a análise pericial das intervenções no local.

Invasão

Os manifestantes chegaram ao edifício por volta das 8h30 desta segunda-feira. “Se o triplex é do Lula, podemos permanecer. Se não é, por que ele está preso?”, argumentou o integrante do MTST, Josué Rocha. De acordo com ele, mais de 50 pessoas foram ao triplex, e outros 100 manifestantes ficaram na rua.

O grupo estendeu faixas com as mensagens “Povo Sem Medo”, “Se é do Lula, é nosso” e “Se não é, por que prendeu?”, na sacada do apartamento. “Queremos provocar essa discussão. Eles não têm provas de que o triplex é do Lula, não há nenhuma prova da propriedade, a condenação é uma farsa”, disse mais cedo.

Foto: Reprodução/Twitter

Política

Fábio Dantas se distancia do PSDB?

O vice-governador Fábio Dantas (PSB) tem adotado uma agenda solo nos últimos dias. No máximo ao lado dos seus companheiros socialistas. A exceção de no sábado (14) tem ido a uma ação do mandato do vereador de Natal, Dickson Júnior (PSDB), onde se encontrou com o deputado federal Rogério Marinho (PSDB).

Dando sinais de um possível distanciamento do PSDB, partido que esteve presente em sua filiação ao PSB e onde ocorreu o lançamento de sua pré-candidatura ao Governo.

Nos bastidores da cena política potiguar a avaliação é que o PSDB estimulou, mas não abraçou a pré-candidatura de Fábio Dantas.

Diversos

Potiguar é atacado por tubarão em praia pernambucana

Do G1 PE

Um homem de 34 anos foi atacado por um tubarão na praia de Piedade em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, na tarde deste domingo (15). De acordo com o Corpo de Bombeiros, o chamado para socorrer Pablo Diego Inácio de Melo, natural de Natal, no Rio Grande do Norte, foi feito às 14h38.

Depois dos primeiros socorros feitos por duas equipes de bombeiros, a vítima foi levada de helicóptero ao Hospital da Restauração (HR), no Derby, na área central do Recife. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), Pablo Diego foi encaminhado ao bloco cirúrgico.

Há lesões nos dois braços e na perna direita do paciente e seu estado de saúde é considerado grave. Os médicos, no entanto, não sabem se haverá necessidade de amputação dos membros.

De acordo com o oficial de operações do Grupamento Marítimo (GBmar) que participou do atendimento, capitão Arthur Leone, o homem estava numa área sinalizada por placas. “Ele estava com água na altura da cintura e provavelmente foi mordido primeiro na perna, tentou se defender e em seguida foi mordido nos braços”, conta.

Dois outros homens que estavam na água junto com Pablo ajudaram a retirá-lo do mar. “Ele foi resgatado consciente”, informou o bombeiro Wellington Miranda.

“Esse incidente na Praia de Piedade ainda vai passar por um processo de análise para verificarmos as circunstâncias. Nossa missão inicial é coletar o máximo de informações para entender o que houve”, explicou o presidente do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit), coronel Leodilson Bastos.

No dia 7 de abril de 2018, o Cemit havia atingido a marca de três anos sem incidentes registrados no continente. Os três últimos casos haviam sido registrados em Fernando de Noronha.

“Esse havia sido o resultado de um trabalho de intensificação dos avisos das áreas impróprias. Por isso precisamos investigar as circunstâncias desse incidente em Piedade para sabermos o que pode ter motivado”, comenta o presidente do órgão.

Foto: Divulgação

Estado

Bispos cobram esforços de bancada federal para liberação de recursos do Programa de Cisternas

O arcebispo metropolitano de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha; os arcebispos eméritos, Dom Heitor Sales e Dom Matias Patrício; o bispo de Caicó, Antônio Carlos Cruz, e o bispo de Mossoró, Dom Mariano Manzana, fizeram uma nota dirigida aos senadores e deputados federais do Rio Grande do Norte, na qual cobram esforços junto ao Ministério do Desenvolvimento Social para que sejam garantidos e liberados os recursos financeiros, no valor de dez milhões de reais, para a execução do Programa de Cisternas – Água na Escola.

Segue a nota, na íntegra.

Aos Senadores e Deputados Federais do Rio Grande do Norte
A/C – Deputado Felipe Maia – Coordenador da Banca Federal-RN no Congresso Nacional.

A Igreja Católica no Rio Grande do Norte, por seus pastores: Dom Jaime Vieira Rocha, arcebispo metropolitano de Natal; Dom Mariano Manzana, bispo diocesano de Mossoró; e Dom Antônio Carlos Cruz Santos, bispo diocesano de Caicó, une-se às organizações da sociedade civil que integram a Rede Asa Potiguar, para requerer dos Senadores e Deputados Federais do Rio Grande do Norte, maior esforço junto ao Ministério do Desenvolvimento Social para que sejam garantidos e liberados os recursos financeiros previstos no último Edital de Chamamento Público nº 03/2017 – Lote 7/RN – MDS/SESAN – o qual previa a seleção de entidades sem fins lucrativos para a execução do Programa de Cisternas – Água na Escola, em nosso Estado, no valor de 10 milhões de reais.

Publicado o resultado final do Chamamento Público, a entidade selecionada para executar o programa, no Rio Grande do Norte, foi a AP1MC, (Associação Programa Um Milhão de Cisternas) – conforme consta no extrato do resultado do certame publicado no site oficial do referido Ministério. Estranhamente, no momento em que foi apresentado o Plano de Trabalho pela AP1MC, o Estado Potiguar foi excluído por orientação do MDS, sem nenhuma explicação plausível que justifique tão gravosa decisão.

Excluir o Rio Grande do Norte de mais uma oportunidade de executar as tecnologias sociais de convivência com o semiárido, é contribuir para o agravamento ainda mais da escassez de águas para as famílias que vivem da agricultura familiar, no momento em que o Estado atravessa um dos piores ciclos da seca, que já perdura por seis (6) anos.

Dados recentes dão conta que dos 163 municípios do Rio G. do Norte, 95 estão sem água, já que suas fontes de abastecimento entraram em colapso total. Hoje, dependem de carros-pipa para amenizar a falta d´água para o consumo humano e animal.

O programa de cisternas, sem nenhuma dúvida, tem se mostrado eficiente e eficaz, não somente para armazenar a águas das chuvas, mas, também, para dar suporte na distribuição de água transportada pelos carros-pipa.

Por essa razão é que reconhecemos a necessidade de somarmos esforços com todas as forças vidas da sociedade civil e os agentes políticos do nosso Estado para reivindicar do MDS/SESAN, os recursos financeiros necessários para a execução das cisternas, conforme previsto no Edital.

Por fim, no Tempo Pascal, onde celebramos alegremente a Vitória da Vida sobre a morte, pela gloriosa Ressurreição de Jesus – que é Deus-Conosco – rogamos abundantes graças e bênçãos sobre todos os que trabalham e se esforçam para a promoção e defesa do Bem Comum e da Justiça Social, especialmente, os que exercem a atividade parlamentar em nome do Povo Potiguar, a fim de que sejam fiéis aos compromissos republicanos que os motivam para a defesa e promoção dos legítimos interesses e direitos de nossa gente.

Natal(RN), 13 de abril de 2018

Dom Jaime Vieira Rocha
Arcebispo Metropolitano de Natal

Dom Mariano Manzana
Bispo Diocesano de Mossoró

Dom Antônio Carlos Cruz Santos
Bispo Diocesano de Caicó

Dom Heitor de Araújo Sales
Arcebispo Emérito de Natal

Dom Matias Patrício de Macedo
Arcebispo Emérito de Natal

Política

Ezequiel participa de cavalgada em Espírito Santo

O deputado e presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) participou neste domingo (15) da tradicional Cavalgada dos Amigos que faz o percurso entre Espírito Santo e Jundiá. O prefeito Fernando Teixeira (PSDB) recebeu o deputado.

“Centenas de cavaleiros se inscrevem todos os anos. Este ano teve um ingrediente a mais que foi a chegada das chuvas. Há seis anos lutamos contra a seca. As chuvas chegaram e o olhar o sertanejo mudou. Há esperança no olhar. Vejo no olhar e no desejo do sertanejo uma boa invernada”, comentou Ezequiel Ferreira.

Operação tapa-buraco, viatura policial, ambulância, pavimentação de ruas e o veículo refrigerado para o transporte da produção da agricultura familiar estão entre as conquistas do deputado Ezequiel Ferreira para a cidade de Espírito Santo.

Poder

Juízes do RN vão receber auxílio retroativo a 1996, diz Estadão

Do Estadão

Magistrados do Rio Grande do Norte se concederam o direito de receber licença-prêmio de forma retroativa aos últimos 22 anos. A resolução, assinada pelos 13 desembargadores e publicada quinta-feira, permite que embolsem os atrasados de uma só vez. Um juiz que exerce a atividade desde 1996, por exemplo, pode ganhar cerca de R$ 300 mil, segundo cálculos iniciais. A licença-prêmio garante a eles o descanso remunerado de três meses a cada cinco anos de trabalho. A medida ocorre no momento em que o Estado enfrenta crise financeira.

É pra todos. Familiares de juízes que faleceram também poderão requerer o pagamento da licença-prêmio retroativa, assim como os aposentados.

Penduricalhos. Além da licença-prêmio, os juízes do RN já recebem auxílio-moradia (R$ 4.300); auxílio-saúde (R$ 500) e auxílio-alimentação (R$ 400).

Com a palavra. O presidente da Associação dos Magistrados do RN, Herval Sampaio, diz que o pagamento é legal, depende da disponibilidade financeira do tribunal e pode ser parcelado a depender do número de pedidos.

Política

Álvaro Dias defende Rosalba com Carlos Eduardo: “Seria um grande reforço. É uma liderança estadual reconhecida, que todos respeitamos e vamos dialogar”

Se depender da disposição do prefeito de Natal, Álvaro Dias (MDB), a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP), que esteve em sua posse na última terça-feira (10), ao lado do marido Carlos Augusto Rosado e do filho Kadu Ciarlini, estará na aliança em torno da pré-candidatura de Carlos Eduardo (PDT) ao Governo do Estado. Foi o que ficou claro em sua entrevista à Tribuna do Norte deste domingo (15):

“Acho que tem todas as condições da prefeita de Mossoró, ex-governadora e ex-senadora Rosalba Ciarlini fazer parte dessa composição. Agora é preciso que o diálogo seja iniciado, a discussão política em torno de uma provável aliança também seja iniciada. Isso vai acontecer tudo no seu devido momento, claro que seria um grande reforço para Carlos Eduardo, porque indiscutivelmente a prefeita de Mossoró é uma liderança estadual reconhecida, que todos respeitamos e vamos buscar esse diálogo e a decisão acontecerá no momento oportuno”.

O abraço de Rosalba e Álvaro Dias na posse do novo prefeito.

Natal

Família de envolvido em acidente na Av. Hermes da Fonseca informa que não foi motivado por racha ou infração de trânsito

Nota

A família Cordeiro de Medeiros esclarece que o acidente ocorrido na Avenida Hermes da Fonseca, na noite de ontem, com um dos seus membros, não foi motivado por qualquer tipo de racha ou infração de trânsito.

Nosso familiar, na hora do acidente, fazia o trajeto de casa para o cinema, no shopping Midway Mall.

Neste momento, ele se encontra internado em uma Unidade de Terapia Intensiva, onde se recupera do acidente. Já a outra pessoa envolvida no caso, não sofreu ferimentos.

Agradecemos as orações e estamos confiantes na pronta recuperação.

Natal, 15 de abril de 2018 às 10h26

Família Cordeiro de Medeiros