Sem categoria

Dilma e Lula comparecem ao velório de Alencar

A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entraram juntos, às 21h26  no salão do Palácio do Planalto, onde era velado o corpo do ex-vice-presidente José Alencar. Os dois cumprimentaram a mulher de Alencar, Mariza, o filho, Josué, e familiares.

Lula chegou chorando. Aos prantos, ao lado do caixão, ele beijou a testa de Alencar. Dilma também se aproximou do caixão e colocou a mão sobre as mãos do ex-vice-presidente.

Com informações e foto do G1


Sem categoria

Garibaldi Filho e Wilma conheceram de perto José Alencar

O ministro Garibaldi Filho e a ex-governadora Wilma de Faria, tiveram a oportunidade, por diversas vezes, de se encontrarem com o ex-vice-presidente José Alencar.

O blog reproduz um desses encontros de ambos:

O encontro de Garibaldi com José Alencar

Wilma também teve a oportunidade de conhecer Alencar

Sem categoria

Corpo de José Alencar já está sendo velado no Palácio do Planalto

O corpo do ex-vice-presidente da República, José Alencar, já está sendo velado no Salão Nobre do Palácio do Planalto.

É o primeiro velório no Palácio desde a morte de Tancredo Neves, em 1985.

O presidente em exercício, Michel Temer, e a viúva Marisa Gomes da Silva recepcionaram o corpo na entra do Palácio.

Neste momento, familiares e autoridades participam do velório, que logo em seguida será aberto ao público.

Foto: G1

Marisa e Michel Temer se despedem de Alencar

Sem categoria

Ricardo Motta se pronuncia sobre a morte de José Alencar

“O país perde um brasileiro de biografia impecável, de trajetória pessoal de sacrifícios e vitórias, empreendedor exemplar, com fortes ligações com o nosso Estado, onde gerou milhares de empresas através do Parque Industrial da Coteminas. José Alencar representa o brasileiro típico, lutador, valente, que não perde a esperança por maior que seja a dificuldade. Não desanimou em nenhum instante do seu martírio, que fica para a história como exemplo a ser seguido pelas novas gerações.”

 Ricardo Motta

 Presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

 

Sem categoria

Henrique define Alencar como “um dos maiores homens públicos que este país já conheceu”

O líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Henrique Alves, participava da reunião de líderes para definir a pauta de votação do dia, em plenário, quando recebeu a notícia da morte do ex-vice-presidente da República, José Alencar.

Logo após saber a notícia, Henrique deu a seguinte declaração pelo twitter: “Morreu hoje José Alencar, um dos maiores homens públicos que este país já conheceu! Exemplo de fibra e coragem para todos nós”

E continuou: “Estou em reunião na liderança do governo. As notícias sobre José de Alencar chegaram no começo da discussão da pauta da semana”. Por causa da morte do político e empresário mineiro as votações foram suspensas.

Sem categoria

Ministro Garibaldi Filho lamenta a morte de José Alencar

Confira, a seguir, a declaração do ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho a respeito da morte de Alencar.

“ Foi com muita tristeza e consternação que recebi a lamentável notícia da morte do ex-vice-presidente José Alencar. Antes de mais nada, ele era um amigo com quem tive a honra de conviver. Ele também foi parceiro e amigo do Rio Grande do Norte. Investiu fortemente no setor industrial, instalando em São Gonçalo uma filial de sua fábrica de confecções. Por intermédio dela, propiciou a geração de empregos e o bem-estar de centenas de famílias potiguares. José Alencar será sempre lembrado pela sua coragem, perseverança, obstinação, determinação e amor ao país. Foi um homem vitorioso na vida pessoal, empresarial e política. Nesse instante de dor, ofereço minha solidariedade à sua esposa, Mariza, e aos familiares. O Brasil chora a morte desse que foi um dos seus filhos mais notáveis e que, ao lado do ex-presidente Lula, colaborou para levar o país ao desenvolvimento experimentado nos últimos anos”.

Sem categoria

José Alencar: De vendedor de tecidos a industrial

Do G1

De vendedor de tecidos a industrial, a trajetória de José Alencar Gomes da Silva se divide entre o empresário que fundou um dos maiores grupos têxteis do país e o político que só iniciou a vida pública em 1994 e chegou à vice-presidência após ser disputado por diversos partidos.

Ele nasceu em 17 de outubro de 1931, em Itamuri, município de Muriaé, na Zona da Mata mineira. Décimo primeiro filho de uma família de 15 irmãos, saiu cedo de casa e começou a trabalhar aos 14 anos, como balconista em uma loja de tecidos. Estudou só até a 5ª série.

O primeiro salário, de 660 cruzeiros, não dava para pagar um quarto de pensão. Alencar alugava, então, uma cama no corredor de um pensionato.

Com dinheiro emprestado por um irmão, aos 18 anos abriu sua primeira loja de tecidos, em Caratinga (MG). Batizada de “A Queimadeira” por um viajante português, vendia de tudo a preços populares. Daí em diante, não parou.

Trabalhou como viajante comercial, atacadista de cereais, dono de fábrica de macarrão, atacadista de tecidos e industrial do ramo de confecções.

Em 1967, conseguiu um financiamento subsidiado da Sudene para instalar, em Montes Claros, a Companhia de Tecidos Norte de Minas (Coteminas), hoje um dos maiores grupos industriais têxteis do país.

Com unidades industriais em quatro estados brasileiros – Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Paraíba e Santa Catarina –, além de uma na Argentina, a Coteminas exporta seus produtos para os Estados Unidos, Europa e países do Mercosul.

Carreira política
Como empresário, José Alencar começou a se dedicar às entidades de classe empresarial, atuando como presidente da Associação Comercial de Ubá (MG), diretor da Associação Comercial de Minas, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais e vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria.

Com a experiência administrativa, candidatou-se pelo PMDB ao governo de Minas Gerais, em 1994. Foi acusado por adversários de abuso de poder econômico na campanha. Acabou ficando em terceiro lugar, com 10,71% dos votos válidos.

Em 1998, foi eleito para o Senado com quase 3 milhões de votos, numa das campanhas mais caras do país. À época, Alencar gastou R$ 6,4 milhões, mais que o dobro gasto pelo ex-presidente Itamar Franco para se eleger governador (R$ 2,8 milhões), segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais.

Antes de entrar para o PL, em outubro de 2001, o então senador foi assediado também por PTB e PSB. O PMDB, do qual se desfiliara no mês anterior, chegou a lhe oferecer a presidência do Senado.

O perfil de homem simples e empreendedor, a imagem de político liberal, as críticas ao governo e a proximidade com o empresariado tornaram o então senador um dos políticos mais disputados pela oposição.

Mas levou dois anos até que a aproximação se convertesse na aliança entre PT e o conservador PL, em junho de 2002, e à formação da chapa vitoriosa com Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições daquele ano.

As críticas de ambos os lados à aliança até então inusitada levaram Lula a comparar a dupla ao par shakespeariano “Romeu e Julieta”, cujo romance despertou a ira das suas respectivas famílias.

Em entrevista à revista “IstoÉ Dinheiro”, após a eleição de 2002, Alencar comparou sua trajetória à de Lula. “Nós dois somos homens de origem humilde que nos tornamos líderes sindicais; ele como trabalhador e eu numa entidade patronal. Mas não há incompatibilidade alguma entre capital e trabalho”, disse.

Governo
Desde o início, José Alencar ganhou fama de ser um vice-presidente polêmico, tornando-se uma voz dissonante no governo em relação à política econômica do então ministro da Fazenda, Antonio Palocci, que mantinha juros altos na tentativa de conter a inflação e a economia sob controle.

A partir de 2004, passou a acumular a vice-Presidência com o cargo de ministro da Defesa. Mesmo tendo demonstrado várias vezes incômodo na função, se manteve na pasta, a pedido do presidente Lula, até março de 2006, quando deixou o cargo para participar da campanha à reeleição.

Em 2005, em meio à crise do mensalão, que atingiu em cheio o PL, desligou-se do partido. Com outros ex-membros da sigla, participou da fundação do Partido Republicano Brasileiro (PRB), pelo qual elegeu-se, na chapa com Lula, para o segundo mandato como vice-presidente, que duraria até o fim de 2010. Com o fim do segundo mandato, cogitou se candidatar ao Senado, mas desistiu por conta da doença.

Sem categoria

Morre aos 79 anos José Alencar

Do G1

O ex-vice-presidente da República José Alencar , 79 anos, morreu às 14h41 desta terça (29), no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, em razão de câncer e falência múltipla de órgãos, segundo informou o hospital.

A presidente Dilma Rousseff afirmou em Portugal que o velório será no Palácio do Planalto. O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, se emocionou ao receber a notícia durante uma entrevista.

Na última das várias internações, Alencar estava desde segunda (28) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio Libanês, em São Paulo, com quadro de suboclusão intestinal.

O ex-vice-presidente lutava contra o câncer havia 13 anos, mas nos últimos meses, a situação se complicou.

Sem categoria

José Alencar tem nova perfuração no abdômen

Tahiane Stochero

Do G1, em São Paulo

O médico Raul Cutait  afirmou nesta terça-feira (29) que o ex-vice-presidente José Alencar voltou a apresentar uma perfuração no abdômen e que a equipe tem a preocupação de minimizar o sofrimento do paciente. Cutait é um dos coordenadores das equipes médicas que acompanham Alencar no Hospital Sírio-Libanês.

“Ele está em uma fase muito ruim da vida dele. Voltou a ter uma perfuração no abdômen, que não tem mais condições de tratamento cirúrgico. Mas estamos dando a ele todas as medidas de suporte para que ele não sofra. Ele está com muito analgésico para não sentir dor, por isso está sonolento o tempo todo”, disse.

O ex-vice foi internado na tarde desta segunda-feira (28) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital. De acordo com o boletim médico divulgado pelo hospital nesta manhã, Alencar  tem “quadro de oclusão intestinal e peritonite, em condições críticas”.

osé Alencar tinha recebido alta no dia 16 de março, após ter sido internado no dia 9 de fevereiro por causa de uma peritonite, que é uma inflamação no peritônio – membrana que reveste as paredes do abmônen – causada por uma perfuração no intestino. Ele luta há anos contra um câncer no abdômen.

Boletim médico
Veja abaixo a íntegra do boletim médico divulgado nesta terça-feira (29):

“BOLETIM MÉDICO
29/03/2011
11h45

O Ex-Vice-Presidente da República José Alencar segue internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Sírio-Libanês, com quadro de oclusão intestinal e peritonite, em condições críticas.

O paciente está sedado, sem dor, na companhia de seus familiares e estão sendo oferecidas as medidas de suporte necessárias.

As equipes médicas que o acompanham são coordenadas pelos Profs. Drs. Paulo Hoff, Raul Cutait, Roberto Kalil Filho e Paulo Ayroza Galvão.
Dr. Antônio Carlos Onofre de Lira

Dr. Paulo Ayroza Galvão
Diretor Técnico Diretor Clínico”

Sem categoria

José Alencar está na UTI

Do G1 SP

O ex-vice-presidente José Alencar foi internado na tarde desta segunda-feira (28) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. De acordo com o boletim médico divulgado pelo hospital nesta tarde, Alencar foi internado “com quadro de suboclusão intestinal, em condições críticas”, que significa uma obstrução do intestino com sangramento.

O hospital, no entanto, não deu mais detalhes sobre as condições de saúde do ex-vice-presidente.

José Alencar tinha recebido alta no dia 16 de março, após ter sido internado no dia 9 de fevereiro por causa de uma peritonite, que é uma inflamação no peritônio – membrana que reveste as paredes do abmônen – causada por uma perfuração no intestino. Ele luta há anos contra um câncer no abdômen.

Sem categoria

José Alencar volta a ser internado e seu estado de saúde é grave

Do G1

O ex-vice-presidente José Alencar voltou a ser internado, na tarde desta quarta-feira (9), no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

O estado de saúde do ex-vice-presidente da República José Alencar é grave, mas estável. Ele foi para o hospital Sírio-Libanês, no início da tarde desta quarta-feira (9), com fortes dores abdominais. Exames constataram que o tumor que ele tem desde 2006 perfurou o intestino delgado. Médicos chegaram a encontrar material liberado pelo intestino na barrida dele.

Ele tem peritonite, que é uma inflamação na região do abdômen. Os médicos lutam agora para que essa inflamação não se espalhe por outras áreas e fique generalizada. Não há qualquer possibilidade de uma nova cirurgia.

José Alencar está na UTI sob forte uso de antibióticos e consciente.

O ex-vice-presidente estava em casa desde o dia 25 de janeiro, onde fazia o tratamento quimioterápico. Mas há uma semana o tratamento foi suspenso, porque não estava fazendo efeito.

Foto: Ricardo Stuckert

Dilma deverá visitar o ex-vice-presidente nos próximos dias