24 de fevereiro de 2024
Turismo

Ministros garantem a Temer sucesso na Olimpíada

Os ministros Leonardo Picciani (Esporte) e Henrique Eduardo Alves (Turismo) reforçaram, nesta segunda-feira (16), que o País está preparado para receber os Jogos Olímpicos Rio 2016 e descartaram qualquer risco de descontinuidade do cronograma de ações devido à mudança de governo. As afirmações foram dadas em entrevista coletiva concedida após reunião entre os ministros e representantes do governo envolvidos no projeto olímpico com o presidente interino Michel Temer.

Segundo Picciani, no encontro foram apresentados um resumo do estágio de preparação dos Jogos e o planejamento das ações a serem tomadas.

“Ficou bastante nítido que não existem surpresas. As obras seguem o cronograma e a preparação das áreas onde ocorrerão eventos olímpicos estão dentro da normalidade. Estamos na fase de ajuste final e expectativa é absolutamente muito positiva”, ressaltou antes de afirmar que manterá na pasta os principais gestores técnicos para não comprometer a continuidade do cronograma de ações.

O ministro do Esporte informou ainda que o presidente Michel Temer teve uma conversa por telefone com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, em que reafirmou todas as garantias assumidas pelo governo brasileiro para a realização dos Jogos, especialmente em relação à segurança pública.

Para o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, a experiência e êxito já demonstrados na realização de grandes eventos esportivos reforçam que o Brasil será capaz de realizar o evento olímpico com tranquilidade.

“Independente de questão política ou partidária, vamos mostrar ao mundo que esse povo de formação democrática, passiva, hospitaleira tem capacidade de fazer uma inesquecível Olímpiada” , destacou o ministro.

Os ministros de Esporte, Leonardo Picciani, e do Turismo, Henrique Alves, garantiram ao presidente Temer que as mudanças não afetarão a Olimpíada
Os ministros de Esporte, Leonardo Picciani, e do Turismo, Henrique Alves, garantiram ao presidente Temer que as mudanças não afetarão a Olimpíada