Mundo

Primeira-ministra britânica anuncia renúncia

Da Agência Brasil

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou nesta sexta-feira (24) que vai deixar, no dia 7 de junho, a liderança do Partido Conservador e que o processo de escolha de um novo líder vai começar na próxima semana.

“Continuarei a servir como primeira-ministra até que o processo esteja concluído”, disse Theresa May, em entrevista em sua residência oficial.

Ela argumentou que é dever dos políticos “implementar o que [o povo] decidiu”,  referindo-se ao Brexit, aprovado há três anos. “Fiz tudo o que podia para convencer os deputados a apoiar o acordo de saída. Infelizmente, não consegui. É agora claro para mim que é do interesse do país que seja um novo primeiro-ministro a liderar esse esforço. Por isso, anuncio que irei me demitir do cargo de líder do Partido Conservador na sexta-feira, 7 de junho”, concluiu a primeira-ministra”.

“Será sempre uma matéria de grande arrependimento que não tenha conseguido cumprir o Brexit. Será função do meu sucessor procurar um caminho que honre o resultado do referendo. Para ser bem-sucedido, ele ou ela terá de encontrar um consenso no Parlamento, que eu não consegui. Esse consenso só pode ser atingido se ambas as partes em debate estiverem disponíveis para o compromisso”, afirmou May.

Visivelmente emocionada, ela acrescentou que foi a maior honra de sua vida vida ter sido a segunda mulher primeira-ministra no Reino Unido, “mas, certamente, não a última”, e ter servido ao país que ama.

Foto: Simon Dawson/ Reuters

Foto: Simon Dawson/ Reuters

Mundo

Líder nas pesquisas, Cristina Kirchner será candidata a vice-presidente da Argentina

Da Revista Exame/Agência EFE

Buenos Aires – A ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner (2007-2015), anunciou este sábado que integrará uma chapa para as próximas eleições de outubro na posição de vice-presidente, com seu ex-chefe de gabinete, Alberto Fernández, como candidato a presidente.

“Estou convencida que esta chapa que propomos é a que melhor expressa o que neste momento a Argentina necessita para convocar os mais amplos setores sociais e políticos e econômicos também, não só para ganhar uma eleição, mas para governar”, declarou a atual senadora em vídeo divulgado no Twitter.

O anúncio encerra meses de conjecturas no âmbito político e nos meios de comunicação sobre o futuro político de Cristina e direciona o foco sobre o advogado Alberto Fernández, que foi chefe do seu gabinete de ministros e também de seu marido, o também ex-presidente Néstor Kirchner, entre 2003 e 2008.

Mundo

Bolsonaro comanda reunião no Ministério da Defesa para discutir crise na Venezuela

O presidente da República, Jair Bolsonaro, reuniu, na manhã desta quarta-feira (1), ministros e comandantes das Forças Armadas, na sede do Ministério da Defesa, para discutir o acirramento da crise na Venezuela e os reflexos para o Brasil.

Ao final da reunião, Bolsonaro reiterou que espera, até dia 15 deste mês, uma resposta da Funai para iniciar a construção da linha de transmissão entre Manaus (AM) e Boa Vista (RR). “Até o dia 15 agora, teremos o sinal verde ou não das comunidades indígenas”, disse o presidente lembrando que o Conselho de Defesa já autorizou a construção da linha, mas o governo aceitou os questionamentos da Funai.

Sobre a questão da energia em Roraima, o presidente frisou que a situação já é emergencial, uma vez que o Estado tem usado termelétricas movidas a óleo diesel para conseguir abastecimento. “Não podemos continuar de forma eterna com a energia de óleo diesel, porque o resto do Brasil paga um pouco mais de R$ 1 bilhão por ano pela energia de Roraima”.

Fonte: Planalto

Mundo

Morre o ex-presidente do Peru que deu um tiro na cabeça ao receber ordem de prisão

O ex-presidente do Peru Alan García morreu hoje (17) durante cirurgia, depois de dar um tiro na cabeça ao receber ordem de prisão em sua casa, no bairro Miraflores, em Lima. Ele era acusado de corrupção em caso envolvendo a empresa brasileira Odebrecht. García foi levado com urgência ao Hospital Casimiro Ulloa, na capital peruana, mas não resistiu.

De acordo com informações médicas, o ex-presidente, 69 anos, teve três paradas cardíacas e foi reanimado. Ele deu entrada no hospital às 6h45, com perfurações de entrada e saída de bala no crânio.

O presidente do Peru, Martín Vizcarra, lamentou no Twitter a morte de Alan García. “Consternado com a morte do ex-presidente. Envio minhas condolências à família e pessoas queridas”.

*Da Agência Brasil com informações da agência de notícias Télam

Mundo

Ex-presidente do Peru tenta se matar ao receber ordem de prisão

Da Agência Brasil

O ex-presidente do Peru Alan García tentou se matar na manhã de hoje (17) quando ia ser detido pela polícia em sua casa no bairro de Miraflores, em Lima. Ele é acusado de corrupção em caso envolvendo a Odebrecht.

Seu estado de saúde é grave, segundo a imprensa local. García foi levado com urgência ao Hospital Casimiro Ulloa, na capital peruana.

 

Mundo

Doações para reconstrução de Notre-Dame somam US$ 900 milhões

Doações estão sendo feitas em todo o mundo visando reconstruir a Catedral de Notre-Dame, em Paris, que foi seriamente danificada por um incêndio. Segundo a imprensa francesa, já foram arrecadados 900 milhões de dólares.

O incêndio – ocorrido na segunda-feira, dia 15 –  devastou a estrutura histórica, destruindo a torre e de dois terços do teto.

Empresas da França são líderes em contribuições para os esforços de captação de recursos.

Um conglomerado de produtos de luxo, o fundador de uma grande empresa de cosméticos e uma petroleira, entre outros, se comprometeram a fazer doações substanciais.

Tecnologia da informação

Universidades e uma gigante de tecnologia da informação dos Estados Unidos também contribuíram.

Mais de 1.500 pessoas em 50 países também efetuaram doações no valor de 80 mil dólares até o momento em um site de arrecadação na internet aprovado por autoridades francesas.

O presidente da França, Emmanuel Macron, se comprometeu a reconstruir a catedral em cinco anos, quando Paris sediará os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Verão.

Macron estimou que serão necessários 850 milhões de dólares para a reconstrução. No entanto, ainda não está claro quanto tempo vai levar para reconstruir Notre-Dame.

De acordo com especialistas, o trabalho pode levar décadas.

*Da Agência Brasil com informações da NHK (emissora pública de televisão do Japão)

Mundo

Potiguares visitaram a Catedral de Notre Dame no último fim de semana antes do incêndio

O jurista Ney Lopes de Souza, ex-deputado federal, está em Paris e no último fim de semana visitou a Catedral de Notre Dama, ao lado da esposa Abigail e do neto João Manoel, de 13 anos.

Nesta segunda-feira (15) ocorreu a tragédia que destruiu o templo religioso chocando o mundo inteiro.

“Boa tarde amigo. Estou viajando. Com Abigail e meu neto João Manoel ( 13 anos) fomos um dos últimos potiguares visitar Notre Dame no final de semana. Chovia muito. A natureza pressentia a tristeza da tragedia”, escreveu Ney Lopes ao blog pelo whatsapp.

“Meu neto emocionou-se tanto que teve dificuldades para dormir ao saber noticia. Chorou vendo TV”, concluiu Ney Lopes.

João Manoel, neto de Ney Lopes, em frente à Catedral de Notre Dame no fim de semana

Mundo

Incêndio atinge Catedral de Notre-Dame em Paris

Da Agência Brasil

Um incêndio atinge desde o início da tarde de hoje (15) a Catedral de Notre-Dame, no centro de Paris. A fumaça pode ser vista do topo do patrimônio considerado uma referência histórica da capital francesa.

A prefeita da cidade, Anne Hidalgo, usou sua conta pessoal no Twitter para lamentar o “terrível” acidente em curso e exaltar o trabalho dos bombeiros que estão no local tentando combater as chamas. “Estamos mobilizados no local em estreita ligação com o @dioceseParis. Peço a todos respeito ao perímetro de segurança”, destacou a prefeita.

Uma das mais importantes e famosas catedrais de Paris, a Notre-Dame, dedicada a Santa Maria, mãe de Jesus Cristo, foi construída entre 1160 e 1345, em estilo gótico. Ao longo dos anos, a catedral foi palco de cerimônias celtas e romanas, além de ter inspirado o romance conhecido como O Corcunda de Notre-Dame, do escritor francês Victor Hugo, publicado em 1831.

Reações

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lamentou o incêndio na Catedral de Notre-Dame. “Tão horrível ver o enorme incêndio na Catedral de Notre Dame em Paris. Talvez os tanques de água que voam pudessem ser usados para apagá-lo. Deve haver uma ação rapidamente”, disse Trump na sua conta pessoal no Twitter.

Notre Dame

Mundo

Brasil é o 4º país que mais produz lixo no mundo, diz WWF

Da Agência Brasil

O estudo “Solucionar a Poluição Plástica: Transparência e Responsabilização”, feito pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF), mostra que o Brasil é o quarto país no mundo que mais produz lixo. São 11.355.220 toneladas e apenas 1,28% de reciclagem. Só está atrás dos Estados Unidos (1º lugar), da China (2º) e da Índia (3º).

No Brasil, segundo dados do Banco Mundial, mais de 2,4 milhões de toneladas de plástico são descartadas de forma irregular, sem tratamento e, em muitos casos, em lixões a céu aberto. Aproximadamente 7,7 milhões de toneladas de lixo são destinados a aterros sanitários.

A poluição por plástico gera mais de US$ 8 bilhões de prejuízo à economia global. Levantamento do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) indica que os diretamente afetados são os setores pesqueiro, de comércio marítimo e turismo.

O diretor executivo do WWF no Brasil, Mauricio Voivodic, alertou sobre a necessidade de adotar medidas urgentes para reverter a situação. “O próximo passo para que haja soluções concretas é trabalharmos juntos, por meio de marcos legais, que convoquem à ação os responsáveis pelo lixo gerado. Só assim haverá mudanças urgentes na cadeia de produção de tudo o que consumimos.”

Alerta

Segundo o estudo lançado pelo WWF, o volume de plástico que vaza para os oceanos anualmente é de cerca de 10 milhões de toneladas. Nesse ritmo, mostra a pesquisa, até 2030 serão lançados ao mar o equivalente a 26 mil garrafas de plástico para cada quilômetro quadrado (km2). Aproximadamente metade dos produtos plásticos que poluem o mundo hoje foi criada nos anos 2000.

O diretor-geral do WWF Internacional, Marco Lambertini, afirmou que o sistema atual de produção, uso e descarte de lixo está “falido” e que é necessário mudar o comportamento. “É um sistema sem responsabilidade, e atualmente opera de uma maneira que praticamente garante que volumes cada vez maiores de plástico vazem para a natureza.”

Poluição

A poluição do plástico afeta a qualidade do ar, do solo e sistemas de fornecimento de água. Os impactos diretos estão relacionados a não regulamentação global do tratamento de resíduos de plástico, à ingestão de micro e nanoplásticos (invisíveis aos olhos) e à contaminação do solo com resíduos.

A queima ou incineração do plástico pode liberar na atmosfera gases tóxicos, alógenos e dióxido de nitrogênio e dióxido de enxofre, extremamente prejudiciais à saúde humana. O descarte ao ar livre também polui aquíferos, corpos d’água e reservatórios, provocando aumento de problemas respiratórios, doenças cardíacas e danos ao sistema nervoso de pessoas expostas.

Na poluição do solo, um dos vilões é o microplástico oriundo das lavagens de roupa doméstica e o nanoplástico da indústria de cosméticos, que acabam sendo filtrados no sistema de tratamento de água das cidades e acidentalmente usados como fertilizante, em meio ao lodo de esgoto residual. Quando não são filtradas, essas partículas acabam sendo lançadas no ambiente, ampliando a contaminação.

Soluções

O estudo do WWF faz recomendações sobre possíveis soluções para a situação envolvendo os sistemas de produção, consumo, descarte, tratamento e reúso do plástico. Os cuidados propostos incluem orientação para os setores público e privado, a indústria de reciclagem e o consumidor final.

As propostas incluem que cada produtor seja responsável pela sua produção de plástico, o fim de vazamento do produto nos oceanos – e reúso e reciclagem como base para uso do material. Paralelamente a substituição do plástico por materiais reciclados.

Danos

Entre os principais danos do plástico à natureza estão estrangulamento, ingestão e danos ao habitat. A gerente do Programa Mata Atlântica e Marinho do WWF no Brasil, Anna Carolina Lobo, disse que a maior parte do lixo marinho encontrado no litoral é plástico. Nas últimas décadas, o aumento de consumo de pescados aumentou em quase 200%.

“As pesquisas realizadas no país comprovaram que os frutos do mar têm alto índice de toxinas pesadas, geradas a partir do plástico em seu organismo, portanto, há impacto direto dos plásticos na saúde humana. Até as colônias de corais – que são as ‘florestas submarinas’ – estão morrendo. É preciso lembrar que os oceanos são responsáveis por 54,7% de todo o oxigênio da Terra”, disse.

O estrangulamento de animais por pedaços de plástico já foi registrado em mais de 270 espécies animais, incluindo mamíferos, répteis, pássaros e peixes, causando desde lesões agudas e crônicas, até mesmo a morte. Esse estrangulamento é hoje uma das maiores ameaças à vida selvagem e conservação da biodiversidade.

A ingestão de plástico já foi registrada em mais de 240 espécies. A maior parte dos animais desenvolve úlceras e bloqueios digestivos que resultam em morte, uma vez que o plástico muitas vezes não consegue passar por seu sistema digestivo.

Mundo

Tsunami causa 281 mortes na Indonésia

Da Agência Brasil

Autoridades da Indonésia confirmaram hoje (24) que chegou a 281 o número de mortos em decorrência do tsunami que atingiu as ilhas de Java e Sumatra há pouco mais de 24 horas. Há 1.016 pessoas feridas e 57 desaparecidas. Segundo as autoridades, o número pode ser ainda maior, pois a extensão total do dano ainda é desconhecida.
Na madrugada desta segunda-feira (24), foram reiniciadas as buscas por desaparecidos em torno dos prédios que desmoronaram perto da costa em Pandeglang, no oeste de Java. As equipes de resgate não têm maquinário suficiente para as atividades.

Até ontem (23), o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, o Itamaraty, não tinha informações de brasileiros entre as vítimas. Porém, deixou um canal de comunicação para eventuais informações.

Segurança

As autoridades indonésias afastaram os moradores das áreas costeiras, pois há ameaça de outro tsunami ocorrer, uma vez que um vulcão no Estreito de Sunda, entre Java e Sumatra, está ativo. Especialistas suspeitam que o tsunami de ontem (23) tenha sido causado por deslizamentos de terra causados pela erupção do vulcão Krakatau.

Saldo inicial

Por enquanto, o saldo inicial é de que o tsunami destruiu 556 casas, nove hotéis e 360 navios no distrito de Pandeglang, a área mais atingida, bem como a província Serang de Banten e o distrito de Lampung Selatan, na província de Lampung, informou o porta-voz da Agência Nacional de Gerenciamento de Desastres, Sutopo Purwo Nugroho.

No distrito de Pandeglang, ondas gigantes atingiram áreas residenciais e vários pontos turísticos ao longo da costa, como Pantai Tanjung Lesung, Sumur, Penimbang, Teluk Lada e Carita, disse Sutopo.

A maioria dos hotéis, resorts, restaurantes e lojas de conveniência fechou após o tsunami. Entre as áreas devastadas havia uma praia na vila de Cinangka, em Anyer, muito procurada por suas areias brancas e por seus coqueiros. Todas as construções feitas de bambu na praia foram destruídas.

Depois que o tsunami ocorreu, a Agência de Meteorologia e Geofísica proibiu a comunidade de ter atividades na área costeira do estreito.

*Com informações da NHK, emissora pública de televisão do Japão, e da Xinhua, agência pública de notícias da China

Mundo

Protestos fazem Paris virar praça de guerra; mais de 270 são presos e ao menos 110 ficam feridos

Do Estadão

PARIS – Paris se tornou neste sábado, 1.º, uma praça de guerra. A polícia francesa disparou gás lacrimogêneo, granadas de efeito moral e canhões de água contra manifestantes que tentaram romper os cordões de segurança na Avenida Champs-Elysées. O Arco do Triunfo foi tomado por uma nuvem de fumaça. Mais de 270 pessoas foram presas e ao menos 110 ficaram feridas nos confrontos, segundo a imprensa local. Os franceses protestam contra o aumento no preço dos combustíveis e a perda de poder aquisitivo da população.

Em todo o país, as manifestações reuniram 75 mil pessoas, segundo estimativa do primeiro-ministro, Édouard Philippe. O movimento, que começou no dia 17 de novembro, tem como símbolo o “colete amarelo”, que é uma peça usada para que os motoristas fiquem mais visíveis em caso de emergências em estradas.

Os protestos se tornaram o mais novo desafio do presidente da França, Emmanuel Macron, que luta para retomar sua popularidade. Desconcertado, seu governo não consegue dialogar com representantes do movimento, que nasceu nas redes sociais, desvinculado de qualquer comando político ou sindical.

Em Buenos Aires, onde participa da cúpula do G-20, Macron tentou acalmar a situação, prometendo anunciar medidas para limitar o impacto dos impostos sobre o combustível. O presidente francês, no entanto, garantiu que não “haverá volta atrás” com relação ao preço da gasolina.

“Nenhuma causa justifica que as forças de ordem sejam atacadas, que lojas sejam saqueadas, que pedestres ou jornalistas sejam ameaçados, que o Arco do Triunfo seja sujo”, criticou Macron. “Os responsáveis por esta violência não querem mudanças, não querem melhorar nada, querem o caos. Traem as causas a que pretendem servir e que manipulam. Serão identificados e responsabilizados por seus atos ante a Justiça”, assinalou o presidente, que convocou uma “reunião interministerial” com os serviços competentes para segunda-feira, quando estará de volta a Paris.

Confronto
O ministro do Interior, Christophe Castaner, denunciou no Twitter a presença de “1,5 mil desordeiros (…) que vieram para criar confusão”. A polícia, mobilizada em grande número para evitar os confrontos que já haviam ocorrido durante a manifestação de 24 de novembro, repeliam aqueles que tentam promover “quebra-quebra”, acrescentou o ministro.

Os manifestantes que vieram pacificamente para protestar com o “colete amarelo” fluorescente, foram pegos no fogo cruzado na avenida. Entre eles, estava Chantal, uma aposentada de 61 anos que tentava evitar se aproximar da confusão. “Fomos informados que havia desordeiros à frente”. Para ela, “ele (Macron) deve descer de seu pedestal, entender que o problema não é o imposto, é o poder de compra. Todo mês eu tenho que mexer na minha poupança”.

O acesso de pedestres à avenida estava sendo controlado, com verificações de identidade e buscas, e painéis de madeira foram afixados em algumas vitrines. Cerca de 5 mil agentes foram mobilizados na capital. / AFP, REUTERS e AP

Mundo

Pesquisa mostra aumento das chances de reeleição de Trump nos EUA

Da Veja

Americanos estão mais propensos a reeleger Donald Trump em 2020, segundo pesquisa feita pela rede CNN em parceria com a SSRS. Segundo o levantamento, 46% dos americanos acreditam que Trump deverá se reeleger, enquanto 47% acreditam no contrário. A última pesquisa sobre o tema, feita em março, mostrava que 54% das pessoas ouvidas acreditavam que ele perderia.

Entre os republicanos, 74% acreditam que o representante do partido na disputa presidencial de 2020 deve ser Trump, enquanto 21% preferiria outro escolhido. No campo democrata, o candidato que leva o maior apoio, hoje, é Joe Biden, vice-presidente de Barack Obama, com 33%. Bernie Sanders, senador por Vermont, tem 13% da preferência. O ex-prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, recém-convertido democrata, tem 4% da preferência.

Mundo

Justiça pede prisão de ex-presidente da Argentina

Da Agência Brasil

O juiz federal Claudio Bonadio, da Argentina, pediu hoje (17) a prisão preventiva da ex-presidente da República e senadora Cristina Kirchner, de ex-integrantes do seu governo e de empresários suspeitos de pagar propina e por formação de quadrilha.

As acusações envolvem o setor de construção civil e obras públicas realizadas nos mandatos de Cristina e do marido, já morto, Néstor Kirchner. O processo ganhou o apelido de “cadernos de corrupção”, porque as investigações identificaram várias anotações, cuidadosamente descritas.

Como Cristina Kirchner é parlamentar e dispõe de foro privilegiado, só poderá ser detida se dois terços dos senadores aprovarem a perda de imunidade. Não há data para essa votação ocorrer.

Desde que o escândalo de corrupção veio à tona, no começo de agosto, vários empresários e ex-funcionários do governo acusados fizeram acordos de delação premiada e reconheceram a existência das propinas e o envolvimento de Cristina e Néstor em esquemas escusos.

* Com informações de Monica Yanakiew, da Argentina, e das agências EFE e Andina, do Peru.

Foto: Web

Foto: Web

Mundo

Relatório aponta manipulação em redes sociais em 48 países

Da Agência Brasil

Um relatório do Instituto de Internet da Universidade de Oxford, no Reino Unido, mapeou iniciativas do que chamou de “manipulação do debate público” em todo o mundo. Os autores identificaram entre 2010 e 2018 campanhas que visaram influenciar os cidadãos em polêmicas políticas e eleições em 48 países, que chamaram de “cibertropas”.

As nações estão localizadas em todos os continentes, como Américas, África, Europa, Ásia e Oceania. São listados casos mais notórios, como os Estados Unidos (na eleição de Trump em 2016) e o Reino Unido (com o referendo de saída da União Europeia em 2016). O Brasil foi citado como um dos locais onde as “cibertropas” atuaram, tendo como referência as eleições de 2010. Os pesquisadores mapearam partidos e entidades privadas atuando para influenciar a disputa.

Crescimento

O levantamento identificou um crescimento de mais de 70% nas iniciativas de manipulação do debate político. Na edição anterior do inventário, divulgada em 2017, haviam sido registrados 28 casos em diferentes países. Em cada um desses países há pelo menos um órgão público ou partido político envolvido nesse tipo de mobilização em redes sociais.

Os autores creditam o crescimento à atuação em processos eleitorais, no caso de legendas, e de reação à difusão das chamadas notícias falsas, no caso de agências estatais. O emprego de recursos para influenciar agendas políticas online por partidos foi localizado em 30 dos 48 países. Já a atuação de governos muitas vezes esteve relacionada ao medo de interferências externas nas discussões promovidas na internet. Essas iniciativas envolvem também órgãos criados para combater as notícias falsas.

“Ao redor do mundo, agências governamentais e partidos políticos estão explorando redes sociais para difundir notícias falsas e desinformação, exercer censura e controlar e minar a confiança na mídia, nas instituições públicas e na ciência. Em um tempo em que o consumo de notícias é crescentemente digital, inteligência artificial, coleta e análise de dados e algorítimos – caixas-pretas – estão sendo alavancados para desafiar a verdade e a confiança: os pilares da sociedade democrática”, sintetizam os autores.

Meios de difusão

Entre os recursos mais utilizados estão os robôs (bots), contas automatizadas empregadas para repercutir uma ideia ou perfil (que pode ser de um político, partido ou fonte de informação). Outra são as equipes de comentário, grupos contratados para ampliar as interações de um determinado indivíduo ou coletivo e, assim, fazer com que suas publicações alcancem mais pessoas e sejam objeto de mais interações.

Mas os autores descobriram o uso crescente de anúncios pagos nas plataformas digitais como recurso das iniciativas de manipulação. No Google, aparecem de foma destacada nos resultados das buscas. No Facebook, aparecem tanto como publicidade quanto como “posts patrocinados”, em caso de uma publicação paga para obter maior alcance.

No Brasil, as eleições deste ano serão as primeiras em que esse tipo de “conteúdo impulsionado” poderá ser utilizado como canal de campanha por candidatos e partidos. Recentemente o Facebook anunciou algumas medidas com o intuito de rebater críticas quanto à falta de transparência nesse tipo de mensagem.

Além dos anúncios, outro canal de divulgação que vem ganhando espaço são as redes sociais de mensagens, como Whatsapp, Telegram e o chinês WeChat. Segundo o levantamento, em 20% dos países onde foram identificadas iniciativas de manipulação esses são os principais espaços de difusão dessas campanhas, especialmente em nações do Hemisfério Sul.

Negócio

O estudo identificou os diversos instrumentos adotados em campanhas de manipulação (como coleta e análise de dados, construção de perfis comportamentais, difusão segmentada e personalizada de mensagens e plataformas de análise com inteligência artificial) como um grande negócio. Desde 2010, os partidos listados teriam gasto R$ 1,87 bilhão com a contratação de serviços como esses. A maioria dessas ferramentas, concluíram os autores, foram empregadas na difusão de notícias falsas em eleições.

Mundo

Casos de sarampo aumentam no mundo, alerta OMS

Da Agência Brasil

Relatório divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alerta para o aumento de casos de sarampo no mundo. Os números mostram que, nos quatro primeiros meses deste ano, foram registrados 79.329 casos da doença, contra 72.047 no mesmo período de 2017.

O pico da doença foi registrado no mês de março, quando foram identificados 25.493 casos. A maior parte dos casos de sarampo registrados em 2018 foram identificados em países como Uganda e Nigéria, na África; Venezuela, nas Américas; Iêmen, Emirados Árabes Unidos, Síria, Sudão e Paquistão, no Mediterrâneo Oriental; Ucrânia, Sérvia, Rússia e Romênia, na Europa; Índia, Tailândia, Mianmar e Indonésia, no Sudeste Asiático; e Filipinas e Malásia, no Sudeste Asiático.

Surtos no Brasil

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil enfrenta pelo menos dois surtos de sarampo – em Roraima e no Amazonas. Até o dia 27 de junho, foram confirmados 265 casos de sarampo no Amazonas, sendo que 1.693 permanecem em investigação. Já Roraima confirmou 200 casos da doença, enquanto 179 continuam em investigação.

Ainda segundo a pasta, casos isolados e relacionados à importação foram identificados nos estados de São Paulo (1), Rio Grande do Sul (6); e Rondônia (1). Outros estados têm casos suspeitos, mas que ainda não foram confirmados. Até o momento, o Rio de Janeiro informou oficialmente 18 casos suspeitos e dois casos confirmados de sarampo.

“O Ministério da Saúde permanece acompanhando a situação e prestando o apoio necessário ao Estado. Cabe esclarecer que as medidas de bloqueio de vacinação, mesmo em casos suspeitos, foram realizadas em todos os estados”, diz o ministério.

 Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo.

Mundo

Presidente da CBF se envolve em confusão na Rússia e torcedor acaba em hospital

Almir Leite, Leandro Silveira, Marcio Dolzan e Jamil Chade, enviados especiais à Rússia, O Estado de S.Paulo

O paraense Alexandre Nazareno, que está na Rússia acompanhando a seleção brasileira, precisou ser medicado em um hospital de São Petersburgo após ser agredido por ter xingado o presidente da CBF, o coronel Antonio Nunes. Ele foi atingido na cabeça por um copo atirado por um assessor do dirigente. O incidente aconteceu na madrugada de sexta-feira, em um restaurante da cidade.

Nunes jantava com familiares e assessores quando foi chamado de “safado” e “vagabundo” por Nazareno, que é do mesmo Estado do presidente da CBF. De acordo com pessoas que presenciaram a confusão, o torcedor ainda teria dado um tapa nas costas do dirigente, além de um soco em um assessor de nome Gilberto Barbosa. Este teria reagido e atingido a cabeça do torcedor com um copo. A atitude irritou a cúpula da entidade, e ele foi desligado da delegação que está na Rússia e voltará ao Brasil, possivelmente ainda nesta sexta-feira.

Nazareno foi atendido inicialmente no próprio restaurante e depois encaminhado para um hospital. O estabelecimento fechou mais cedo que o habitual por conta do incidente. Gilberto Barbosa, apontado como o assessor que agrediu torcedor, é conhecido como Giba e foi funcionário da Federação Paulista de Futebol quando a entidade era presidida por Marco Polo Del Nero, hoje banido do futebol pela Fifa.

Na Rússia o Coronel Nunes, que preside a CBF desde abril do ano passado, tem sido isolado por seus assessores desde que votou no Marrocos para sede da Copa de 2026 após se comprometer a votar nos Estados Unidos, México e Canadá. Foi considerado traidor. Desde então, passa a maior parte do tempo em seu quarto de hotel em Moscou, viaja para acompanhar a seleção e às vezes sai para jantar.

CBF PODE SER PUNIDA

Os incidentes de violência envolvendo membros da CBF em um restaurante de São Petersburgo poderiam ser tratados pelo Comitê de Ética da Fifa. Se um processo for aberto, os envolvidos poderiam ser punidos, inclusive com um afastamento do restante da Copa do Mundo.

A polícia foi chamada ao local e o dono do estabelecimento colocou a culpa nos cartolas pela confusão. Mas a delegação brasileira deixou o restaurante antes da polícia chegar. Para que o Comitê Organizador da Copa possa agir, o torcedor que foi alvo da violência teria de primeiro prestar queixa na polícia.

Mas, na Fifa, a consideração é de que a entidade também poderia agir de forma proativa. Oficialmente, a organização ainda não se pronunciou. Mas, na condição de anonimato, membros do Comitê de Ética da Fifa indicaram ao Estado que acreditam que o órgão da entidade teria jurisdição para lidar com o caso, já que o funcionário da CBF faz parte de uma delegação oficial, credenciada para acompanhar a seleção brasileira durante a Copa do Mundo na Rússia.

Num dos artigos do Código de Ética da Fifa, estipula-se que todos os membros “demonstrarão compromisso com uma atitude ética”. O texto ainda fala que eles “devem se comportar de maneira digna e agir com total credibilidade e integridade”.

Um dos debates que poderia existir seria sobre a competência do caso ser, prioritariamente, do próprio Comitê de Ética da CBF. Mas membros do Comitê da Fifa acreditam que existiria uma brecha, no item 5 do artigo 27.

“O Comitê de Ética (da Fifa) também terá o direito de investigar e julgar casos nacionais se associações, confederações ou outras organizações não processarem tais violações ou se não for esperado um juízo adequado dadas as circunstâncias específicas”, disse.

Mundo

Avião com 113 pessoas a bordo cai após decolar do aeroporto de Havana

O Estado de S.Paulo

HAVANA – Um avião da Companhia Cubana de Aviação, um Boeing 737, caiu nesta sexta-feira, 18, pouco depois de decolar do Aeroporto Internacional José Martí, na capital Havana. Segundo o presidente Miguel Díaz-Canel, havia 113 pessoas a bordo, entre passageiros e tripulantes, e supõe-se um alto número de mortos. A imprensa oficial fala em ao menos três sobreviventes.

“Ocorreu um lamentável acidente de avião. Segundo a companhia, o avião transportava 104 passageiros e 9 tripulantes. As notícias não são alentadoras, parece que há um alto número de vítimas”, afirmou Díaz-Canel ao chegar ao local do acidente.

Os destroços do avião estão perto da capital cubana, na localidade de Santiago de Las Vegas, a 13 km do centro da cidade. Testemunhas relatam que várias ambulâncias dirigiram-se à região.

Segundo informações preliminares, o voo seguiria para Holguin, no leste do país, e tinha acabado de decolar quando caiu. Ainda não há confirmação oficial sobre número de vítimas.

Apesar de ser utilizada pela Companhia Cubana de Aviação, a aeronave pertencia à italiana Blue Panorama, informam os veículos locais. O empréstimo foi feito após a empresa cubana aposentar diversos aviões que apresentavam problemas mecânicos.

De acordo com a emissora americana CNN, uma grande bola de fogo foi vista do aeroporto e haveria uma grande coluna de fumaça no provável local da queda da aeronave. Bombeiros atuam no local.

O acidente foi reportado inicialmente pela emissora cubana CubaTV, pelo Twitter. /AFP e Ansa

Avião da companhia Cubana de Aviacion que caiu quando decolava do Aeroporto José Martí, em Havana  Foto: AFP PHOTO / Adalberto ROQUE

Avião da companhia Cubana de Aviacion que caiu quando decolava do Aeroporto José Martí, em Havana Foto: AFP PHOTO / Adalberto ROQUE

Mundo

Cuba elege 1º presidente após 60 anos de governo dos irmãos Castro

Da Agência Brasil

A Assembleia Nacional de Cuba se reúne nesta quarta-feira (18) para escolher o próximo presidente da ilha caribenha que, nas últimas seis décadas, foi governada pelos irmãos Castro: Fidel, que morreu aos 90 anos, e Raúl, que prometeu se aposentar aos 86. O novo líder será o primeiro, desde a Revolução Cubana, com outro sobrenome e representando uma geração mais jovem do que aquela que pegou em armas para derrubar a ditadura de Fulgencio Batista (1952-1959) e desafiar os Estados Unidos (EUA), estabelecendo um regime socialista a 150 quilômetros de sua costa.

O novo presidente de Cuba assume em um momento delicado. A Venezuela, que fornece petróleo e sustentava o regime cubano, hoje enfrenta grave crise econômica, marcada pela hiperinflação, o desabastecimento e o isolamento internacional.

Com a mudança de governo em 2017, os Estados Unidos recuaram no processo de reaproximação – primeiro passo para o fim do bloqueio econômico, comercial e financeiro que continua impondo à ilha. O presidente norte-americano, Donald Trump, (eleito também com o voto dos cubanos que imigraram para os EUA e que exigem a derrubada do comunismo na ilha), limitou viagens e investimentos (dos norte-americanos) em Cuba.

Raúl Castro diz que foi eleito presidente para “defender, manter e continuar aperfeiçoando o socialismo cubano –  e não para destruí-lo”.

A eleição representa o fim de uma era, mas muitos observadores acham que, na prática, pouca coisa mudará na vida dos 11,5 milhões de cubanos: o Partido Comunista de Cuba (PCC) continua sendo o único e Raúl Castro seu chefe.

“O Partido Comunista é o órgão máximo de decisão política, de acordo com a Constituição cubana. Raúl Castro deixa a presidência do país, mas não o cenário politico”, disse à Agência Brasil Erika Guevara-Rosas, diretora para as Américas da Anistia Internacional, uma organização de defesa dos direitos humanos. “Lamentavelmente, Cuba continua sendo um país que violenta, de forma massiva, as liberdades civis, políticas e de expressão.” Cuba é o único país do continente que não permite acesso oficial à Anistia Internacional.

A expectativa é de que o cargo seja ocupado pelo atual vice-presidente, Miguel Díaz-Canel, de 57 anos, que nasceu depois da revolução, não usa farda, mas defende os ideais do Partido Comunista Cubano (PCC), onde atua desde jovem. “Sou como muitos neste país”, disse Díaz-Canel. “Formamos parte de uma geração que nasceu nos anos 60 e agradecemos muito toda a formação e as possibilidades brindadas pela revolução. Tivemos a oportunidade de participar dos processos de decisão nas organizações de base estudantis e da juventude”.

Reformas

Só houve uma sucessão presidencial na Cuba revolucionária e ela foi programada. Em 2006, Fidel Castro entregou o comando do país ao irmão caçula – primeiro interinamente, depois oficialmente. Fidel estava doente e morreu dez anos depois. Nos últimos 12 anos, Raúl Castro adotou algumas medidas de abertura. Meio milhão de cubanos hoje trabalham no setor privado. Desde 2013, quem quiser pode deixar o país, sem precisar de autorização para viajar ou ter que fugir de barco, numa perigosa travessia para a costa da Flórida. A compra e venda de imóveis e carros, mesmo limitada, foi permitida. E a internet chegou à ilha, onde existem mais de 600 áreas publicas com conexão wifi.

No cenário internacional, Cuba participou da 7ª Cúpula das Américas em 2015. Foi a primeira reunião de líderes dos 35 países do Continente Americano com a participação do governo cubano, que até então tinha sido vetada pelos Estados Unidos. A notícia foi o histórico aperto de mão entre Raúl Castro e o então presidente norte-americano, Barak Obama, marcando a reaproximação dos dois países, depois de mais de meio século de guerra fria.

Apontada como responsável por disseminar revoluções comunistas na região, Cuba patrocinou o acordo de paz entre o governo colombiano de centro-direita, do presidente Juan Manuel Santos, e os rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Sete mil rebeldes entregaram as armas, depois de 50 anos de conflito, para formar um partido político, que este ano disputou as primeiras eleições legislativas.

Com a morte de Fidel em 2016, a pergunta era sobre o futuro do país. Raúl Castro propôs ao partido limitar a idade (70 anos) e o mandato (dois períodos de cinco anos) dos dirigentes do PCC, além de uma reforma constitucional. E anunciou que deixaria a presidência, por decisão própria, em abril deste ano.

Renovação

Para ex-combatentes da revolução, o sucessor de Raúl Castro representa a renovação da cúpula do regime comunista cubano, mas a continuidade de seus ideais. Alejandro Ferras Pellicer, de 94 anos, aposta nesta nova geração que, ao contrário da anterior, nasceu com direito à educação e que, segundo ele, estará mais preparada – intelectualmente e tecnologicamente – para lutar por uma sociedade mais igualitária.

Raúl Castro sinalizou, em mais de uma ocasião, que a ideologia não está em jogo – não importa quem seja o novo presidente de Cuba ou que pressões ele terá de enfrentar. “O substituto de Fidel só pode ser o Partido Comunista”, disse, quando os cubanos tentavam imaginar o futuro sem o pai da revolução.

O analista politico cubano Rafael Hernández acredita que o novo governo enfrentará pressões internas por mudanças, porque as expectativas de melhores condições de vida vêm de longa data e cresceram com o tempo. Segundo ele, apesar de Cuba enfrentar hoje uma conjuntura internacional menos favorável, a ilha não está na mesma encruzilhada dos anos 90, quando a União Soviética (principal fornecedora de petróleo a Cuba e financiadora de partidos comunistas no hemisfério internacional) se dissolveu em 15 repúblicas separadas – entre elas, a Rússia.

“Nesses 60 anos, Cuba demonstrou ser capaz de sobreviver a várias crises – até à pior delas, nos anos 90, quando muitos pensavam que ficaria isolada e seria obrigada a mudar”, disse, em entrevista à Agência Brasil, o analista político argentino Rosendo Fraga. “Com a saída de Castro, uma nova geração subirá ao poder. Mas a renovação será feita para manter o mesmo sistema em vigor”.

Mundo

EUA, França e Reino Unido atacam a Síria em resposta ao uso de armas químicas

Informações do G1

Os Estados Unidos, o Reino Unido e a França anunciaram na noite desta sexta-feira (13) que lançaram um ataque em conjunto contra estabelecimentos de armas químicas na Síria, em resposta ao suposto ataque químico contra a cidade de Duma no dia 7 de abril. O regime sírio nega o uso de armas químicas, que são proibidas por convenções da ONU.

As forças aéreas e marinhas dos três países lançaram os primeiros ataques por volta das 21h de Washington (22h, no horário de Brasília), durante o pronunciamento do presidente americano Donald Trump na Casa Branca. Os sistemas de Defesa da Síria reagiram, atingindo 13 mísseis em Al Kiswah, nos subúrbios de Damasco.

O Pentágono anunciou que três alvos foram atingidos na Síria: um centro de pesquisa e produção de armas químicas e biológicas em Damasco, um armazém de armas químicas em Homs, a leste de Damasco – em que os EUA acreditam que estavam estoques de gás sarin – e uma base na mesma cidade que também teria armas químicas.

O presidente disse que o uso de armas químicas na cidade de Duma, no último final de semana, foi uma escalada significativa e que as ações de Assad foram ações “de um monstro”.

Mundo

Tiros são disparados em sede do YouTube na Califórnia; há relatos de vítimas

SAN FRANCISCO (Reuters) – A polícia informou nesta terça-feira que estava respondendo a um incidente com “atirador ativo” na sede do YouTube em San Bruno, na Califórnia, e testemunhas informaram que viram sangue no chão e em escadas e houve relatos de vítimas.

Segundo a rede NBC, uma atiradora foi atingida, mas a Reuters não pode confirmar de imediato esses relatos.

A polícia da cidade, perto de San Francisco, alertou por meio de uma mensagem no Twitter para que as pessoas se mantivessem longe do endereço em que está localizado o YouTube, da Alphabet Inc’s Google.

“Estamos respondendo a um atirador ativo. Por favor, fiquem longe da Cherry Ave & Bay Hill Drive”, disse a polícia de San Bruno no Twitter. A afiliada local da CBS informou que vítimas foram levadas para um hospital de San Francisco.

Um diretor de produtos do YouTube, Todd Sherman, descreveu no Twitter que ouviu pessoas correndo, e primeiramente achou que era um terremoto, antes que lhe dissessem que uma pessoa tinha uma arma.

“Naquele momento, cada nova pessoa que via era um potencial atirador. Alguém disse que a pessoa atirou pela porta dos fundos”, afirmou Sherman no Twitter.

“Eu olhei para baixo e vi sangue pingando no chão e nas escadas, e então descemos as escadas e saímos pela frente”, disse Sherman.

A televisão local mostrou imagens de funcionários do YouTube saindo do prédio com as mãos levantadas.

Reportagem adicional de Gina Cherelus, Alex Dobuzinskis e Dan Whitcomb