MP apura doação de terrenos pela Prefeitura de Jucurutu; Ex-prefeito se pronuncia em nota

O Ministério Público Eleitoral do Rio Grande do Norte deflagrou nesta segunda-feira (9) a operação Cabresto, que apura a doação de terrenos pela Prefeitura de Jucurutu.

A investigação é do Ministério Público Eleitoral da 27ª zona, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), orgão do MPRN, e apoio da Polícia Militar.

Os investigados são o ex-prefeito George Queiroz, a ex-secretária de Assistência Social Francisca Fabiana Batista Monteiro, Arinaldo Lopes de Araújo, Maria José Araújo Lopes de Sá, o empresário Roberto dos Santos Silva, conhecido por “Pompom Sat”, e os vereadores Fagner Bezerra de Brito, o “Faguinho”; Rubens Batista de Araújo, conhecido por “Rubinho”; e Willame Lopes de Araújo, o “Negro do Detran”.

“De acordo com linhas de investigação, servidores públicos ocupantes de cargos comissionados, familiares de funcionários públicos e outras pessoas que não precisavam de recebimento de imóvel, teriam sido beneficiados”, diz o release do MP.

No final, o próprio MP enfatiza que vai analisar o conteúdo apreendido nos mandados de busca e apreensão desta segunda-feira (09), que servirá para confirmar, ou não, as suspeitas iniciais, no que se resultará em oferecimento da denúncia ou arquivamento dos autos.

O ex-prefeito George Queiroz emitiu a seguinte nota:

GEORGE QUEIROZ vem a público esclarecer que, mesmo respeitando, lamenta o ocorrido no dia de hoje e adotará todas as providências judiciais necessárias para esclarecer os fatos e a legalidade da doação dos terrenos, com autorização da Câmara Municipal, o que já vem tentando junto a Prefeitura e, desde 11 de setembro de 2019, quando pediu acesso ao procedimento, junto ao Ministério Público, não tendo sido convocado nenhuma vez para se defender.

É inconcebível que uma pessoa, seguindo todos os mandamentos da Constituição Federal, seja alvo de uma operação, mesmo deixando claro que pretendia COLABORAR com a investigação.