Da Revista Exame

O senador Romário Faria (PSB) protocolou um ofício na manhã de hoje (27) pedindo ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que provoque a abertura de investigação do Ministério Público da Suíça sobre supostas contas bancárias atribuídas a ele no exterior.

Depois de comprovar que não era dono de conta com 2,1 milhões de francos suíços no banco BSI, o nome do pessebista aparece relacionado a contas na Suíça em áudio que levou o senador Delcídio do Amaral (PT) à prisão.

Na gravação da conversa entre o senador petista, Edson Ribeiro e Bernardo Cerveró — advogado e filho de Nestor Cerveró, respectivamente —, Delcídio faz menção a um suposto acordo entre Romário e Eduardo Paes (PMDB) para apoio na candidatura de Pedro Paulo Carvalho à prefeitura do Rio de Janeiro.

Quando questionado se Romário de fato tinha contas correntes na Europa, Delcídio responde que “em função disso fizeram acordo”.

Nesta quinta-feira (26), a Procuradoria-Geral da República afirmou que “todos os fatos serão apurados”. Segundo a coluna de Lauro Jardim, de O Globo, o Ministério Público em Genebra disse que só vai investigar a denúncia quando for oficialmente provocado pela PGR do Brasil.

Tendo em vista o procedimento, o próprio senador enviou ao órgão um ofício para que sejam iniciadas as apurações. “Já provei uma vez e vou provar de novo”, disse Romário em post no seu Facebook. “Sou o maior interessado que verdade venha à tona.”

Contatada por EXAME.com, a PGR ainda não tinha um pronunciamento a respeito.