Na manhã deste Dia de Finados, ao chegar em Mossoró, para visitar alguns dos seus entes queridos, já falecidos, a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) fez um balanço dos seus 10 meses de governo catastrófico.

A governadora voltou a lembrar a famosa “herança maldita” recebida dos governos anteriores.

E as obras herdadas dos governos Wilma-Iberê, que ela deu continuidade. O que pode ser chamado de “herança bendita”.

Das obras em que ela disse ser mérito seu, as que não são heranças de Wilma e Iberê, são feitas com recursos do Governo Federal.

Quer um exemplo?

A construção de dez escolas técnicas. Conseguidos através de empenho da deputada federal Fátima Bezerra (PT), junto ao Governo Dilma.

Rosalba só esqueceu-se de dizer que agora no seu governo…

Aumentou o número de doentes nos corredores do Hospital Walfredo Gurgel…

Os funcionários públicos estão com a corda no pescoço com o salário reduzido, sem gratificações e sem as vantagens que sempre tiveram…

Que muitos recém-nascidos no interior do Estado continuam morrendo por falta de uma UTI neonatal…

Que ainda não cumpriu rigorosamente com o Plano de Cargos e Salários das categorias profissionais…

Que os alunos da rede pública não terão condições de serem aprovados no vestibular, pelo fato da greve ter durado quase todo o ano letivo…

Que as famílias carentes estão recebendo somente 2 litros de leite por semana, quase sempre estragado…

E por aí vai…

Quanto às obras da Copa, além do esforço concentrado da então governadora Wilma de Faria, o apoio dado pela prefeita de Natal, Micarla de Sousa, foi decisivo.

E calma!

Tudo ainda está só começando.

Nada de cantar VITÓRIA antes do tempo.