Estado

Agentes Penitenciários acusam Governo do RN de perseguições e decidem iniciar Operação Padrão

Os Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte se reuniram em Assembleia Geral, nesta terça-feira (12), e decidiram que vão deflagrar Operação Padrão, a partir da terça-feira da próxima semana, dia 19 de fevereiro.

A categoria afirma que, no início do ano, apresentou ao Governo do Estado algumas demandas e esperava uma resposta concreta, o que não aconteceu. Ao contrário disso, os Agentes vêm sofrendo perseguições e assédio moral.

“Nós esperávamos que Governo apresentasse algumas medidas para quitar os salários atrasados e, principalmente, para atender pauta que foi apresentada pela categoria para amenizar a situação financeira dos Agentes Penitenciários”, explica Vilma Batista, presidente do Sindasp-RN.

De acordo com ela, os Agentes Penitenciários estão em condições precárias devido aos constantes atrasos salariais e, inclusive, o Sindicato precisou fazer uma campanha de arrecadação de alimentos e doações.

“A categoria continua sem condições de trabalho. Das medidas apresentadas, como disponibilização de vans para transporte dos servidores para as unidades e flexibilização das escalas, todas foram ignoradas. Passaram-se 30 dias e a Sejuc nem mesmo recebeu o Sindicato para discutir a situação”, comenta.

A presidente do sindicato acusa o Estado de atuar com autoritarismo e de perseguir os Agentes Penitenciários. “Ao contrário de atender demandas apresentadas, a Sejuc tem perseguido os servidores, praticado assédio moral e realizado transferências como forma de punição, bem como publicado portarias aumentando a sobrecarga de trabalho, que já é degradante e sacrificante ao servidor. Em nenhum momento, a Secretaria de Justiça tem se preocupado com a situação financeira”, avalia Vilma Batista

Por esse motivo, os Agentes Penitenciários decidiram que, a partir de terça-feira, dia 19, vão realizar a Operação Padrão, na qual apenas procedimentos essenciais são realizados nas unidades prisionais, como fornecimento de alimentação, urgências médicas, e cumprimento de alvará, de acordo com a Lei de Execuções Penais.

“Não podemos continuar atuando normalmente como se nada estivessem acontecendo. A deflagração da Operação Padrão não é apenas pela cobrança dos salários atrasados, é também para exigir que o Governo do Estado trate o trabalhador com consideração e, principalmente, que respeite a dignidade humana desses profissionais “, finaliza.

Estado

Em dificuldades por causa de salários atrasados, agentes penitenciários do RN recebem doações de policiais federais

Policiais federais do Rio Grande do Norte estão ajudando os agentes penitenciários do estado a superarem os momentos de dificuldade financeira em razão do atraso no pagamento dos salários.

Na semana passada, por meio de uma parceria de solidariedade envolvendo o Sindicato dos Servidores do Departamento de Polícia Federal do RN (Sinpef-RN) e o Sindicato dos Agentes Penitenciários do RN (Sindasp-RN), foi feita a doação de cestas básicas.

Os agentes penitenciários ainda não receberam o salário de dezembro e o 13º de 2018, além do pagamento de diárias operacionais. Por esse motivo, o Sindasp-RN está realizando uma campanha para arrecadar doações.

“Este tipo de ação é fundamental por dois motivos: ajuda os agentes penitenciários, que vivem um momento difícil, e cria uma importante relação de integração entre as categorias”, ressaltou José Aquino, presidente do Sinpef-RN.

A ajuda aos agentes penitenciários pode ser feita através de doações de cestas básicas, no endereço: Rua Raimundo Chaves, 1981, Candelária, Natal/RN.

Também é possível fazer doações financeiras por meio da conta:

Banco do Brasil
Conta: 114.036-1
Agência: 2874-6
SINDASP-RN

Estado

Sem salários, Agentes Penitenciários do RN fazem campanha pedindo doações

Os Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte estão solicitando ajuda da população. Sem receber o salário de dezembro, o 13º de 2018 e o pagamento das diárias operacionais, a categoria passa por dificuldades financeiras.

Por esse motivo, o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte tem encampado a luta pelos pagamentos, no entanto, decidiu fazer uma campanha para arrecadar doações.

“Com o anúncio do Governo de pagar apenas 30% de janeiro no dia 10 e sem dar perspectiva do salário de dezembro e do 13º, pedimos a sensibilização da sociedade e a ajuda daqueles que puderem”.

Ela completa: “nem mesmo as diárias operacionais, que é o valor pago quando os Agentes excedem a carga horária, estão sendo pagas. Então, está faltando dinheiro para as necessidades básicas como transporte e alimentação. Vários Agentes têm procurado o Sindicato pedindo auxílio, mas não temos como atender toda demanda”.

A ajuda aos Agentes Penitenciários pode ser feita através de doações de cestas básicas, no endereço: Rua Raimundo Chaves, 1981, Candelária, Natal – RN, Cep: 59.064-390.

Também é possível fazer doações financeiras, através da conta:

Banco do Brasil
Conta: 114.036-1
Agência: 2874
SINDASP-RN

Estado

Agentes Penitenciários do RN realizaram ato e paralisação de advertência nesta sexta-feira

Os Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte realizaram um ato, nesta sexta-feira (20), com paralisação de advertência. A concentração da categoria foi realizada pela manhã, em frente à Governadoria, em Natal.

A mobilização foi deliberada e aprovada em Assembleia Geral, no dia 5 de abril, e tem como objetivo cobrar o cumprimento do acordo feito com o Governo do Estado, bem como lutar pela garantia dos direitos da categoria e pela pauta de reivindicações elaborada.

“Nossa luta é pelos direitos dos Agentes Penitenciários, em busca de melhores condições de trabalho, de valorização e de estrutura no Sistema Penitenciário”, declara a presidente do Sindasp-RN.

Vilma Batista lembra que os Agentes Penitenciários estão sofrendo com retrocessos e ameaças de retiradas de direitos. “Em 2016, por exemplo, nós estávamos lutando por uma escala de 24 horas por 96 horas. Hoje, nós estamos brigando por um plantão ou para ter direito a algumas horas de descanso”, finaliza.

Governadoria

Estado

Sindicato denuncia que Governo do Estado forneceu quentinhas sem carne para almoço dos agentes penitenciários no sábado (17)

A Presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Vilma Batista, informou ao blog e enviou foto mostrando quentinhas que, segundo ela, foram fornecidas pelo Governo do Estado para almoço de agentes penitenciários no último sábado (17).

E segundo Vilma, nenhuma carne constava nas quentinhas de alguns presídios.

Estado

Agentes Penitenciários estão sem alimentação no trabalho por falta de pagamento do Governo

Agentes Penitenciários de algumas unidades prisionais do Rio Grande do Norte tiveram alimentação cortada por parte da empresa que fornece comida. O motivo é o atraso de pagamento por parte do Governo do Estado.

As unidades que já estão sem alimentação são: Centro de Detenção Provisória Feminino, Centro de Detenção Provisória Masculino, Complexo Prisional João Chaves e CDP Zona Sul. A Cadeia Pública de Natal, na Zona Norte, está fornecendo apenas almoço para os Agentes Penitenciários.

“O que nos foi informado é que a empresa suspendeu a alimentação dos Agentes Penitenciários pois está com pagamentos em atrasos. A empresa alega que a alimentação dos servidores não consta em contrato”, explica Vilma Batista, presidente do Sindasp-RN.

Estado

Agentes Penitenciários protestam na SEJUC e admitem nova greve

Agentes Penitenciário estão neste momento em mobilização no prédio da Secretaria Estadual de Justiça (SEJUC), em assembleia permanente, aguardando uma resposta oficial do Governo do Estado sobre o Estatuto que será analisado pela Assembleia Legislativa.

Em contato com o blog, a presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Vilma Batista, afirmou que o Governo não cumpriu no estatuto o acordado com a categoria: “O Governo mudou a proposta acordada e negociada com a categoria”.

Fotos: Sindicato

SEJUC 1

SEJUC 2

Estado

Agentes penitenciários do RN entram em greve

Os agentes penitenciários do Rio Grande do Norte decidiram entrar em estado de greve a partir desta quarta-feira(13).

A categoria cobra do Governo do Estado o envio da mensagem referente ao Projeto de Lei que estabelece os níveis da carreira.

“Nossa categoria vem pacientemente trabalhando e mantendo a ordem e controle das unidades prisionais, mesmo diante de tantas situações adversas, mesmo diante da falta de estrutura. No entanto, não temos visto contrapartida do Governo do Estado, pois a reestruturação do Sistema Penitenciário também passa pela valorização, fortalecimento e reconhecimento dos servidores”, explica Vilma Batista, presidente do Sindasp-RN.

O Projeto de Lei dos níveis estabelece a implantação das diferenças remuneratórias entre os agentes penitenciários, de acordo com o tempo de serviços prestados ao Sistema Penitenciário.

O pleito, segundo Vilma Batista, tem previsão legal na Lei Complementar 566/2017 e, inclusive, já havia sido acordado com o Governo do Estado desde o início do ano.

Estado

Agentes penitenciários do RN decidem entrar em estado de greve a partir do dia 13

Os agentes penitenciários do Rio Grande do Norte se reuniram em assembleia geral, na tarde desta terça-feira (5), e decidiram entrar em estado de greve a partir da quarta-feira da próxima semana, dia 13 de dezembro. A categoria cobra do Governo do Estado o envio da mensagem referente ao Projeto de Lei que estabelece os níveis da carreira.

“Nossa categoria vem pacientemente trabalhando e mantendo a ordem e controle das unidades prisionais, mesmo diante de tantas situações adversas, mesmo diante da falta de estrutura. No entanto, não temos visto contrapartida do Governo do Estado, pois a reestruturação do Sistema Penitenciário também passa pela valorização, fortalecimento e reconhecimento dos servidores”, explica Vilma Batista, presidente do Sindasp-RN.

O Projeto de Lei dos níveis estabelece a implantação das diferenças remuneratórias entre os agentes penitenciários, de acordo com o tempo de serviços prestados ao Sistema Penitenciário.

O pleito, segundo Vilma Batista, tem previsão legal na Lei Complementar 566/2017 e, inclusive, já havia sido acordado com o Governo do Estado desde o início do ano.

Estado

MPRN obtém decisão na Justiça potiguar para garantir homologação do concurso de agentes penitenciários

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) conseguiu obter na Justiça potiguar uma decisão favorável para garantir a homologação do concurso público para o provimento de 530 cargos de agente penitenciário. A decisão, publicada nesta quinta-feira (30), foi proferida pelo juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública da comarca de Natal e ainda determinou a suspensão do acórdão do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte (TCE/RN) que havia decidido pelo cancelamento da homologação.

Na petição do MPRN, a Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Segurança Pública de Natal pediu o cumprimento da sentença proferida no dia 26 de janeiro de 2017, que condenou o Estado a nomear e dar posse aos 530 agentes penitenciários no prazo de seis meses e homologou acordo em que o Executivo Estadual se comprometeu a dar celeridade ao processo administrativo aberto para deflagração do concurso público. No acordo, foi estipulado o prazo máximo para a homologação do certame no dia 29 de setembro de 2017 e para a publicação do ato de nomeação dos aprovados no dia 2 de outubro do mesmo ano.

No entanto, após o trânsito em julgado da sentença e uma vez deflagrado o concurso, o TCE instaurou um processo para apreciar a legalidade do certame, determinando que não fosse homologado com base nas justificativas de: ausência de estimativa do impacto orçamentário-financeiro das nomeações; ausência de comprovação de que os custos com o curso de formação e das nomeações têm previsão orçamentária; e ausência de comprovação de que as despesas com as nomeações não afetará as metas de resultados fiscais previstas na Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2017.

Para o MPRN, “em tese, o Tribunal de Contas Estadual até poderia aplicar multa ou outra sanção ao gestor público na hipótese de inobservância de regras orçamentárias e financeiras, mas nunca determinar a suspensão de um concurso cuja realização foi objeto de decisão judicial”, traz trecho da petição. O documento reforça ainda que “não cabe ao Estado do Rio Grande do Norte, quer por vontade própria ou por provocação do Tribunal de Contas Estadual, se valer de fundamento jurídico já superado no processo judicial para modificar, ao seu talante, o conteúdo da sentença transitada em julgado”.

Estado

Assembleia aprova criação de 530 cargos de agentes penitenciários no RN

A Assembleia Legislativa aprovou nesta terça-feira (4), à unanimidade, dois importantes Projetos de Lei de autoria do Executivo Estadual. O primeiro deles dispõe sobre a criação de 530 cargos de agentes penitenciários no quadro da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (SEJUC). O segundo autoriza a abertura de crédito especial em favor do órgão governamental para viabilizar o abastecimento de água por carros pipa no RN.

Com a aprovação da matéria na área da segurança pública, o Governo do Estado fica autorizado a realizar concurso público para a contratação efetiva dos agentes penitenciários. O projeto em questão deriva de acordo celebrado entre o Ministério Público Estadual (MPE) e o Estado, para viabilizar o cumprimento de decisão judicial que determinou a realização de certame público para a contratação dos profissionais.

Foto: Eduardo Maia

Foto: Eduardo Maia

Estado

Justiça homologa acordo entre MP e Estado para realização de concurso para agente penitenciário

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) celebrou acordo com o Estado para viabilizar o cumprimento da decisão judicial prolatada nos autos da ACP nº 0837954-28.2015.8.20.5001, em que foi determinada a realização de concurso público para o cargo de agente penitenciário, no prazo de seis meses.

Dentre os termos ajustados, o Estado, representado pelo Governador Robinson Faria e pelo Procurador-Geral Francisco Wilkie Rebouças Chagas Junior, assumiu a responsabilidade de encaminhar à Assembleia Legislativa (AL), no prazo de cinco dias, contados da homologação judicial do acordo, um Projeto de Lei criando 530 cargos de agente penitenciário.

Além disso, visou garantir que o Estado dê celeridade ao processo administrativo aberto para a deflagração do concurso público, adequando ao novo quantitativo de cargos decorrente da sentença (cargos já vagos + novos cargos) e observando os prazos máximos definidos no cronograma apresentado – que culmina com a nomeação dos aprovados no início de outubro deste ano.

Concurso para área administrativa da Sejuc

Uma das cláusulas do acordo versa sobre a necessidade de sanear os desvios de função consistentes em agentes penitenciários exercendo atribuições estranhas ao seu cargo no âmbito da Secretaria Estadual da Justiça e da Cidadania (Sejuc), como também a evitar a necessidade de novos desvios de função a partir das nomeações dos novos agentes penitenciários.

Assim, o Estado assumiu o compromisso de encaminhar um segundo Projeto de Lei à AL, em 30 dias, para criar 100 cargos na estrutura da mencionada secretaria. Os cargos serão para o exercício de atribuições administrativas e de atenção ao preso. A instauração e a deflagração de concurso público para este fim deve finalizar com a nomeação dos aprovados até 30 de junho de 2018.

Clique aqui e veja a íntegra do acordo e da decisão homologatória.

Estado

“O Governo do RN negocia com facções em Alcaçuz, mas não conversa com os agentes penitenciários”, denuncia Sindicato

O Sindasp-RN (Sindicato dos Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte) lamenta a postura do Governo do Estado em não sentar para conversar com a categoria, em não procurar ouvir os pleitos dos Agentes Penitenciários e nem as sugestões para o enfrente da crise no Sistema Prisional. “Ao contrário disso, entra com liminar na Justiça para impedir o direito do trabalhador de fazer movimento paredista como protesto”, destaca Vilma Batista, presidente do Sindicato.

Ela informa que, em assembleia geral na noite desta terça-feira (24), os agentes penitenciários decidiram suspender a greve que estava prevista para começar nesta quarta-feira, haja vista que a Justiça acatou pedido da Procuradoria Geral do Estado e estabeleceu multa diária de R$ 10 mil em caso de greve. O Sindasp-RN vai recorrer da ação.

“O Governo do Estado negocia com as facções criminosas que estão dentro de Alcaçuz, mas não abre suas portas para receber os agentes penitenciários, que são os trabalhadores do Estado que estão na linha de frente dentro das guerras nos presídios. Não temos outra palavra a não ser vergonha para definir o que sentimos de tal atitude”, afirma Vilma Batista.

Mesmo com a greve suspensa, a presidente do Sindasp-RN informa que os agentes penitenciários continuam mobilizados e, na assembleia desta terça-feira, criaram uma comissão especial, formada por agentes de unidades em todo o Estado, para elaborar uma seqüência de atos e ações contra a medida do Governo de contratar prestador de serviço temporário para o Sistema Penitenciário, bem como pela luta da nomeação de 32 agentes concursados e outros itens da pauta.

Além disso, a categoria deliberou por realizar uma paralisação de 24 horas na próxima sexta-feira, dia 27 de janeiro. “Esperamos mais uma vez que o Governo do Estado se sensibilize e nos receba para conversar. Nosso objetivo é colaborar com o enfrentamento à crise e na recuperação do Sistema Penitenciário. Aliás, esse sempre foi o maior desejo dos agentes penitenciários do Rio Grande do Norte”, finaliza.

Estado

Agentes Penitenciários decidem entrar em greve a partir de sábado (09) no RN

Os agentes penitenciários do Rio Grande do Norte realizaram uma assembleia geral, na tarde desta terça-feira (5), e decidiram realizar uma greve por tempo indeterminado. O movimento terá início a partir do próximo sábado (9), em todas as unidades prisionais do Estado.
A decisão foi tomada durante votação na assembleia. Os agentes penitenciários reivindicam o cumprimento da Lei 566, que é o Estatuto da categoria, aprovado no final do ano passado pela Assembleia Legislativa e sancionado no início deste ano pelo Governo do Estado.

“O Governo do Estado nem mesmo estabelece um cronograma para cumprir o que determina a Lei. Nós já protocolamos vários ofícios no Gabinete Civil, tentando encontrar com o governador Robinson Faria, mas até agora não obtivemos êxito. Inclusive, reconhecemos os esforços do secretário Walber Virgolino em intermediar e de sensibilizar o Governo. O que os agentes querem é o tratamento igual a outras categorias. Isso porque o Governo tem cumprido leis aprovadas ainda em governos passado, mas não feito isso em relação a nossa classe”, justifica Vilma Batista, presidente do Sindasp-RN.

Vilma indica que o Estatuto dos Agentes Penitenciários foi confeccionado de uma maneira diferente, sendo o único a ter um dispositivo que leva em conta a Lei de Responsabilidade Fiscal. “Recentemente, porém, o vice-governador sancionou o Estatuto de outra categoria sem esse dispositivo. Foi um grande gesto dele e justo, por isso, queremos que o governador Robinson dê o mesmo tratamento aos agentes penitenciários”.

Com a greve marcada para a partir do próximo sábado, apenas os serviços essenciais serão mantidos, como fornecimento de comida para os detentos e atendimentos de urgência, bem como os 30% que determina a lei. As visitas e atendimentos externos estarão suspensos.

Estado

Governador sanciona Lei que institui o Estatuto de Carreira dos Agentes Penitenciários‏

O governador Robinson Faria sancionou nesta quarta-feira (20) a Lei Complementar 566 que institui o Estatuto da Carreira do Agente Penitenciário. A Lei é antiga reivindicação da categoria e foi aprovada pela Assembleia Legislativa no final de 2015.

A Lei Complementar 566 estabelece garantias, direitos e deveres, forma de ingresso, estrutura dos cargos, forma de progressão na carreira e o sistema de remuneração.

O texto define como princípios institucionais do Sistema Penitenciário do Estado do Rio Grande do Norte a hierarquia funcional e a disciplina; o respeito à dignidade e aos direitos da pessoa humana, garantindo a sua integridade física e moral, na forma estabelecida na Constituição Federal, na Constituição Estadual e na Lei de Execução Penal.

Estado

Sindicato dos agentes penitenciários emite nota contra a privatização defendida por Robinson Faria

Nota do Sindicato dos Agentes Penitenciários: 

O Governo do Rio Grande do Norte, na avaliação do Sindasp-RN e dos agentes penitenciários, está caminhando pela contramão do verdadeiro resgate do Sistema Prisional potiguar. Ao criar o projeto de contratação temporária para os presídios e ainda iniciar processo de Parcerias Público-Privadas, o governador Robinson Faria demonstra incapacidade em gerir o Executivo no que diz respeito a esse setor.
Aliás, desde o início da atual gestão, as crises se agravaram dentro das unidades e o Estado perde cada vez mais o controle do Sistema. Agora, como solução para isso, o Governo afirma que a saída é contratação temporária e entregar à iniciativa privada as obrigações que são exclusivas do Estado.

É importante ressaltar que a contratação temporária para atuação em presídios é ilegal, haja vista que o trabalho deve ser feito por profissionais com poder de polícia. Em alguns estados onde esse tipo de medida foi adotada, como em Goiás, por exemplo, a Justiça considerou o ato ilegal e ordenou que o Governo de lá desligasse os trabalhadores temporários que foram contratados.

Já a entrega dos presídios à empresas privadas também é reconhecida em todo o mundo como um modelo fracassado. Nos Estados Unidos o modelo foi adotado e, na última década, vem sendo desmanchado por ter fracassado. Então, nós perguntamos: “O governador do Rio Grande do Norte quer melhorar o Sistema Penitenciário ou deixar uma herança problemática para os anos seguintes?”.

Na Paraíba, estava vizinho ao Rio Grande do Norte, um exemplo positivo foi adotado em 2009, quando o Governo fez concurso para 2 mil agentes penitenciários, retirando todos os temporários e, atualmente, o Estado é um exemplo de superação e tem um ambiente estável nas unidades prisionais.

Hoje, temos o crime organizado dominando os presídios do RN, ameaçando os agentes penitenciários e até atendando contra a vida da categoria, bem como afrontando constantemente o Estado em uma demonstração clara de força e deixando a população em constante alerta. Será que Governo acha que contratando profissionais temporários ou colocando pessoas que não têm poder de polícia para atuar nas cadeias vai conseguir controlar os presos e o crime organizado?

O Sindasp-RN e toda a categoria entende que o que é preciso são investimentos e reconstrução do Sistema, para que o Estado demonstre a força que tem e não perca a guerra para a criminalidade, como está perdendo atualmente. Exemplos positivos e bem sucedidos não faltam, mas parece que o Governo prefere seguir o mais cômodo e se isentar da responsabilidade dos presídios, passando para a iniciativa privada o controle das unidades, mas tendo que bancar esse sistema retirando milhões dos cofres públicos e repassando para as empresas. 

O problema não é a falta de recursos e sim a falta de gestão e interesse em se resolver o problema. Ao longo dos anos, os Governos se mantiveram inertes às falhas do Sistema Penitenciário e, agora, esse que se diz o “governador da segurança” não está sendo diferente, está preferindo se livrar do problema do que enfrentá-lo.

Estado

Governo encaminha à Assembleia o estatuto dos agentes penitenciários

O Governo do RN encaminhou nesta sexta-feira (11) o projeto de lei complementar que dispõe sobre o Estatuto da Carreira de Agente Penitenciário, com garantias, direitos e deveres, a forma de ingresso, estrutura do cargo, forma de desenvolvimento na carreira e o sistema de remuneração.

A categoria estava em greve alegando exatamente o atraso no envio do estatuto. 

Estado

Cadê o diálogo? Governo Robinson ameaça cortar ponto de agentes penitenciários que estão em greve

O Governo de Robinson Faria (PSD) começa a perder o discurso do diálogo. Os agentes penitenciários que entraram em greve nesta quinta-feira (10) podem ter os valores referentes a cada dia de paralisação descontados.

De acordo com o titular da Secretaria de Justiça e Cidadania, Cristiano Feitosa, paralisação não tem justificativa e, por isso, ele vai propor que o Governo corte o ponto dos grevistas. Foi o que afirmou o secretário a reportagem da Tribuna do Norte.

Os agentes penitenciários iniciaram ontem greve por tempo indeterminado para pressionar o Governo a enviar para apreciação da Assembleia Legislativa, o projeto de lei que cria o estatuto da categoria.

Estado

Agentes Penitenciários fazem protesto na Governadoria com cruzes e caixão

Os agentes penitenciários do Rio Grande do Norte estão concentrados em frente à Governadoria, no Centro Administrativo, para buscar um encontro com o governador Robinson Faria (PSD). O objetivo dos servidores é pressionar o Executivo para o encaminhamento de projeto que trata sobre o plano de carreira da categoria.

Com cruzes e um caixão representando o momento do sistema prisional do Rio Grande do Norte, os agentes afirmam que o setor não tem recebido investimentos suficientes e o Governo não fez qualquer referência ao plano de cargos e carreiras dos profissionais.

z

Geral

Agentes Penitenciários vão paralisar atividades e protestar na Governadoria

Após assembleia nesta segunda-feira (11), os agentes penitenciários do Rio Grande do Norte vão realizar uma parada de advertência no próximo dia 20 de Maio, e realizar um ato público em frente ao gabinete do governador Robinson Faria (PSD). 
A categoria alega que até o momento o Governo do Estado não fez nada de concreto para tirar o sistema prisional do caos em que se encontra. 

Será que o Governador vai descer a rampa e dialogar com os manifestantes?