Geral

Conselho Regional de Medicina emite nota sobre recomendação do tratamento precoce para a Covid-19

O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais, vem a público esclarecer que no dia 18 de maio passado emitiu a recomendação 04/2020, sob a orientação de uma Câmara Técnica para Enfrentamento à Covid-19, formada por médicos especialistas em Infectologia, Imunologia, Pneumologia, Cuidados Intensivos e Cardiologia, na qual facultou aos médicos assistentes de pacientes portadores da Covid-19 uma proposta de abordagem terapêutica desde os sintomas iniciais.

Acesse aqui a Nota na íntegra 

Geral

Conselho Regional de Medicina alerta a população sobre riscos da automedicação

Nota

O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO RIO GRANDE DO NORTE (CREMERN), no uso de suas atribuições legais de regulamentar e fiscalizar a prática médica, alerta a população sobre os riscos da automedicação, do sensacionalismo e da autopromoção nesse momento delicado de pandemia.

Entende-se como automedicação o uso de medicamentos por iniciativa própria ou através da aquisição de receitas distribuídas de forma indiscriminada sem que o ato médico tenha sido concretizado. É uma atitude desaconselhável que resulta em riscos para a saúde.

É esperado que o momento de pandemia produza insegurança em toda a população. No entanto, devemos preservar os princípios básicos do cuidado com a saúde, inicialmente através das medidas preventivas e caso apresente sintomas, procurar assistência médica para um correto diagnóstico e tratamento.

Repudiamos toda e qualquer postura sensacionalista que vise a autopromoção e que interfira no que há de mais importante no processo do tratar que é a relação médico/paciente e o ato médico que a envolve. O CREMERN está atento e adotará as medidas cabíveis.

Estado

Conselho Regional de Medicina revela preocupação com possível falta de UTIs no RN

O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte (Cremern) revelou nesta segunda-feira (13) preocupação diante da possibilidade de faltar leitos de Unidades de Terapias Intensivas (UTIs) no Estado para os pacientes graves infectados pelo novo Coronavírus. A informação foi compartilhada pelo presidente da entidade, o médico Marcos Lima, durante sua participação em mais uma reunião por videoconferência da Comissão de Enfrentamento ao Novo Coronavírus da Assembleia Legislativa.

“A preocupação é que se houver necessidade rápida de leitos de UTI, teremos óbitos evitáveis, casos de pacientes que não tiveram oportunidade a leitos de UTIs. É essa preocupação que a gente tem. Isso já deveria estar pronto, preparado, com equipe aguardando. Temos que torcer para que não aconteça. Mas, se acontecer, com a estrutura pronta esperando, vai facilitar vida de todos”, disse o presidente do Cremern.

Para suprir a falta de leitos, uma das medidas adotadas pelo Estado tem sido investir na construção de um Hospital de Campanha, que será montado na Arena das Dunas ao custo de R$ 37 milhões. Questionado sobre a necessidade desse investimento pelo deputado Tomba Farias (PSDB), Marcos Lima disse que esta ação não deveria ser a prioridade neste momento.

“Minha opção seria investir em toda a estrutura já existente no Estado. O Hospital de campanha seria uma exceção. Se chegássemos no limite da capacidade e fosse necessário algo extra, aí sim seria importante. Mas nós não temos isso, nossa realidade não é essa. Precisamos estruturar a rede atual. Com isso sendo insuficiente, justificaria um hospital de campanha”, explicou o médico.

D6326D3B-730B-40DB-91C8-4A59B370BC1E

Sem categoria

CRM interdita Pronto-Socorro do Hospital Regional de São José de Mipibú

O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte (CRM) determinou, na manhã de hoje (20) a interdição ética do exercício profissional médico no Pronto-Socorro Adulto de Clínica Médica do Hospital Regional Monsenhor Antônio Barros, situado no município de São José de Mipibu até que a escala de plantão seja garantida pela Prefeitura Municipal.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) já estava em processo de notificação oficial ao Município visando o cumprimento do acordo de cooperação com o Governo do Estado, que daria sustentabilidade à porta de entrada do hospital, mediante a manutenção da escala médica para os atendimentos no Pronto-Socorro.

Os atendimentos da unidade hospitalar – que abrange uma região de 25 municípios – permanecerão destinados apenas aos procedimentos obstétricos de urgência. É de responsabilidade da Prefeitura de São José de Mipibu manter o atendimento do Pronto Socorro já que o município possui gestão plena do financiamento da saúde.