Política

Jantar palaciano de Silvio Santos e Fábio Faria com Bolsonaro

Em Brasília para acompanhar o desfile cívico de 07 de setembro, o dono da SBT, Silvio Santos, foi recebido pelo presidente Jair Bolsonaro e pela primeira-dama Michelle Bolsonaro, para um jantar no Palácio da Alvorada.

Silvio Santos estava acompanhado pela esposa Iris Abravanel, a filha Patrícia Abravanel e o genro, deputado federal Fábio Faria.

Política

Fábio Faria leva Bolsonaro para comemorar aniversário de Silvio Santos

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) foi a São Paulo nesta quinta-feira (13), para uma consulta médica no Hospital Albert Einstein.

Em seguida, extra-agenda, participou de um almoço para comemorar Silvio Santos, aniversariante da última quarta-feira (12)

O encontro foi articulado pelo deputado federal Fábio Faria (PSD), genro do dono do SBT.

Fábio Faria e Patrícia Abravanel recepcionando Bolsonaro e a primeira-dama Michele.

Política

Lula, Silvio Santos e o banco Panamericano

Época Expresso

O procurador da República Anselmo Lopes e a delegada da Polícia Federal Rúbia Pinheiro, responsáveis pela Operação Conclave, que investiga a compra de ações do banco Panamericano pela Caixa, citaram em petição encaminhada à Justiça um encontro entre “Senor Abravanel”, o Silvio Santos, e o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto no dia 22 de setembro de 2010.

Lopes e Rúbia ressaltam que o encontro não estava na agenda de Lula e que Luiz Sandoval, ex-presidente do grupo Silvio Santos, afirmou à imprensa que o motivo da reunião entre Lula e Silvio Santos teria sido a ajuda financeira a “ser dada ao banco Panamericano pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC)”. Após a Caixa formalizar a aquisição de uma fatia do Panamericano, o Banco Central avisou sobre um rombo no Panamericano. Depois desse episódio, o FGC aportou mais de R$ 2,5 bilhões na instituição financeira.

A versão oficial para o encontro entre Silvio Santos e Lula foi o pedido de doações para o Teleton.

z

Foto: Rodolfo Stuckert/

Poder

Irmão de Silvio Santos, Henrique Abravanel é alvo de operação da Polícia Federal

O Globo

O empresário Henrique Abravanel, irmão do apresentador Silvio Santos, é um dos alvos da Operação Conclave da Polícia Federal. A investigação é sobre o processo de venda de ações do banco Panamericano, que era da família Abravanel, para a Caixa Econômica Federal em 2009. O banco foi vendido posteriormente para o BTG Pactual em 2011. Segundo a Polícia Federal, são cumpridos 46 mandados de busca e apreensão em cinco estados e no Distrito Federal. A apuração é sobre a prática de crimes de gestão temerária e gestão fraudulenta nos negócios.

Henrique integrou o Conselho de Administração do Panamericano quando a gestão estava nas mãos da família. A Caixa comprou 49% das ações do banco em 2009 por R$ 739 milhões. No ano seguinte descobriu-se que a instituição financeira tinha um rombo bilionário. Em 2011, a família Abravanel saiu do negócio vendendo suas ações para o BTG Pactual.

A investigação apura se o negócio gerou prejuízo ao banco público, seus correntistas e clientes. A investigação identificou três núcleos criminosos: o de agentes públicos, responsáveis pelas assinaturas de pareceres e contratos, o de consultorias, contratadas para dar legitimidade aos negócios, e o de empresários, que conheciam a real situação das empresas. Os investigados poderão responder por gestão temerária ou fraudulenta, crimes que tem penas de até 12 anos de reclusão.

O nome da operação faz referência ao processo de escolha do Papa. A PF explica que utilizou a expressão porque as negociações ocorreram de forma sigilosa em formato semelhante ao usado no Vaticano.

Silvio Santos

Silvio Santos

Poder

Polícia Federal deflagra operação para investigar gestores da Caixa por negócio com banco de Silvio Santos

Do R7

A Polícia Federal cumpre na manhã desta quarta-feira (19) 46 mandados de busca e apreensão contra gestores da Caixa Econômica Federal. Eles investigam possível aquisição fraudulenta de ações do Banco Panamericano, do Grupo Silvio Santos, pela Caixapar (Caixa Participações S.A.). A Operação Conclave, como foi batizada, também apura possíveis prejuízos causados a correntistas e clientes.

O negócio foi realizado em 2009, quando o Panamericano descobriu um rombo de R$ 4,3 bilhões. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, em março de 2012, o ex-presidente do Grupo Silvio Santos, Luiz Sandoval, falou sobre o negócio.

— Muitos bancos menores tentaram ter a Caixa como sócia. Mas que banco tinha Silvio Santos como dono? Isso deixou a Caixa com olhos grandes. A Caixa também teria anúncios no SBT, desfrutando dos mesmos descontos dados às empresas do grupo.

Segundo Sandoval disse à época, as negociações envolveram até o então Ministro da Fazenda, Guido Mantega, que “garantiu que o negócio interessava ao governo e iria sair”.

Cerca de 200 policiais federais cumprem os mandados, expedidos pela 10ª Vara Federal de Brasília/DF. São 30 pedidos de busca e aprensão em São Paulo (SP), seis no Rio de Janeiro (RJ), seis em Brasília (DF), um em Belo Horizonte (MG), um em Recife (PE) e dois em Londrina (PR). Não haverá coletiva de imprensa. A Justiça ainda determinou a indisponibilidade e o bloqueio de valores de contas bancárias dos investigados, que somam R$ 1,5 Bilhão.

A compra das ações do Panamericano pela Caixapar é investigada por ter, possivelmente, causado prejuízos aos cofres públicos.

Durante as investigações, foram identificados alguns núcleos criminosos: de agentes públicos, responsáveis diretos pela assinatura dos pareceres, contratos e demais documentos que culminaram com a compra e venda de ações do Banco Panamericano pela Caixapar e com a posterior compra e venda de ações significativas do Banco Panamericano pelo Banco BTG Pactual S/A; e o núcleo de consultorias, contratadas para emitir pareceres a legitimar os negócios realizados, e o núcleo de empresários que, conhecedores das situações de suas empresas e da necessidade de dar aparência de legitimidade aos negócios, contribuíram para os crimes em apuração.

O nome da operação faz alusão ao ritual que ocorre a portas fechadas entre cardeais na Capela Sistina, na cidade do Vaticano, com a intenção de escolher um novo Papa para a igreja católica. Ele foi escolhido em razão da forma sigilosa com que foram tratadas as negociações para transação entre o Banco Panamericano e a Caixapar.

z

Sem categoria

“Eu sou a terceira do Brasil”

A frase é de Patricia Abravanel, noiva do deputado federal Fábio Faria , no programa do pai Silvio Santos, último domingo.

Depois de brincar com o apresentador que tem muita sorte por chegar a esse posto “sem fazer nada”, Patrícia ainda teve a vontade de ser política revelada no ar.

Para fechar, disse que é a terceira mulher de sucessão na hierarquia do pais desde que o noivo assumiu a presidência da Câmara.
“Tem a Dilma, a Marcela mulher do Michel Temer e …eu”.

Silvio disse que ainda não, vez que os outros teriam que viajar na mesma ocasião.

Detalhe: vice presidente da câmara jamais assumiu a presidência da republica. Antes dele existe o presidente do Senado. No caso, Renan Calheiros.

z

Sem categoria

Ex reconduzidos

O ex-deputado Carlos Augusto Rosado, marido da governadora Rosalba Ciarlini, e o ex-prefeito de Caicó, Sílvio Santos, foram (re) conduzidos neste sábado (16), a presidência do diretório municipal do DEM, de Mossoró e Caicó, respectivamente.

As convenções aconteceram pela manhã.

Em Mossoró, na sede do partido.

Em Caicó, na Câmara Municipal.

Carlos Augusto

Silvio Santos

Sem categoria

Deputado Nelter Queiroz e os ex-prefeitos de Caicó Roberto Germano e Silvio Santos são recebidos por Henrique

Não é somente o gabinete do senador José Agripino Maia, que está repleto de políticos do Rio Grande do Norte.

No gabinete da liderança do PMDB, estão o deputado estadual Nelter Queiroz, e os ex-prefeitos de Caicó, Roberto Germano (PC do B) e Silvio Santos (DEM), além do atual prefeito de Serra do Mel.