– Rio Grande do Norte/
Capital Natal/
em cada rua um poeta/
em cada esquina um jornal.

– Onde estão nossas esquinas?
– Onde ficaram os nosso jornais?

.

Entrei pela primeira vez na redação da Tribuna do Norte, em 1963. Março de 63. Eu acabava de de ser aprovado no vestibular da Faculdade de Jornalismo Eloy de Souza.

Junto com a Faculdade (segunda do Brasil), um novo jornal, entregue ao comando de Walter Gomes, que então trabalhava no Jornal do Brasil.

Na velha foto, de 50 anos, é possível identificar o autor dessas mal traçadas, no avançado e sentado, ao lado de Gutemberg Mota, nosso repórter policial e depois Juiz em Minas Gerais, e Luis Sérgio Medeiros de Oliveira, o baixinho Lula, amante do Fluminense e da noite.

Woden Madruga, de branco, encostado na parede, ao lado de Walter Gomes, tendo em frente Sebastião Carvalho, primeiro diagramador de jornal no RN.

A foto era de quem tinha compromisso com uma jovem de 20 anos que brigava para conquistar seu espaço junto com O Diário de Natal, O Poti, Jornal do Comércio, Correio do Povo, Jornal de Natal, Folha da Tarde, A Ordem e tantos outros que foram surgindo e desapareceram (inclusive o meu Novo Jornal).

Escapou a TRIBUNA. Que Deus lhe preserve! O jornal é o guardião da alma de uma cidade.E retratista do seu povo.

Comentários do Facebook

Deixe um comentário