“Crônica de uma morte anunciada”, diz vice-governador sobre aglomeração do fim de semana

Com a grande repercussão da aglomeração nas praias do Estado durante o final semana, a Coletiva de Imprensa do Governo focou no tema em tom de alerta e chamado às Prefeituras, que têm responsabilidade maior de fiscalizar e evitar o acúmulo de gente, o uso de máscara e as devidas atuações.

O Secretário Fernando Mineiro falou na disposição do Governo do RN em fazer parcerias nesse sentindo, assim como o Coronel  Araújo, que chegou a mencionar ações da Policia na praia de Ponta Negra, apesar de não contabilizar qualquer ocorrência.

Relatou também que não houve qualquer solicitação da Prefeitura de Natal para reforço de pessoal nas ações de fiscalização.

Coube ao vice governador Antenor Roberto uma palavra mais dura, chamando a responsabilidade dos municípios e até das entidades das classes produtoras, que tanto pediram a reabertura da economia:

O que vimos no final de semana com tantas aglomerações foi a crônica da morte anunciada , é determinação da Governadora esse alerta. Porque os decretos são claros sobre de quem a responsabilidade para essa permanente reabertura da economia. 

Nunca demais lembrar que não queremos que ocorra aqui o efeito sanfona de outros estados, de ter que retroagir nas medidas de isolamento…

One thought on ““Crônica de uma morte anunciada”, diz vice-governador sobre aglomeração do fim de semana

  • 20 de julho de 2020 em 15:27
    Permalink

    Omissão gigantesca da prefeitura e do Governo do Estado. Picuinha política que prejudica todos.

    O secretário de segurança disse que viram no CIOSP as imagens das câmeras para mandar as viaturas, e pelo horário das imagens da abordagem, a demora em ver as câmeras e tomar a atitude de dispersar os irresponsáveis demorou. E demorou muito.

    O Governo não tem que esperar a Prefeitura do Natal “pactuar”, chamar, ao Governo cabe policiar, com ou sem COVID-19, ou o natalense está abandonado à própria sorte pelo Governo do RN?

    Já o vice-governador, disse que Mineiro vai chamar os prefeitos, como se fosse chamar aos “carretéis”, como se os prefeitos fossem meninos de recado. É esse o diálogo e a pactuação que o governo Fátima defende?
    Além disso, para quem diz estar pensando na defesa da vida o vice-governador está muito preocupado com o efeito sanfona na economia. Dane-se o efeito sanfona! Tem que freiar é o número de infectados, de leitos clínicos e UTI’s utilizados e preservar a vida, nem que seja o grito.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.