12 de abril de 2024
Política

União Brasil ganha mais um prefeito no RN com vitória de Júnior Balada em eleição suplementar de Pedro Velho

Neste domingo (3), 8.330 eleitores de Pedro Velho voltaram às urnas para eleger novos gestores para o município. Os candidatos Júnior Balada e Jader Marques, do UNIÃO, foram eleitos para prefeito e vice, respectivamente, com 66,72% (5.240) dos votos. A outra chapa, formada pelo candidato João Celso Targino (MDB) e Ananilda Barbosa, teve 33,28% (2.614) dos votos.  A apuração encerrou às 17h51, conforme divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o município teve 7.854 votos válidos, 327 (3,93%) nulos e 149 (1,78%) eleitores votaram em branco.

Os 11.649 eleitores aptos a votar foram distribuídos em 41 seções eleitorais e em seis locais de votação (quatro escolas na zona urbana e duas escolas na zona rural). “Não podemos deixar de destacar o importante papel dos mesários. Tivemos a participação de 188 voluntários contribuindo para que as eleições transcorressem de forma tranquila neste domingo”, destacou Anna Pisco, chefe do cartório da 11ª zona eleitoral.

A juíza eleitoral do município, Dra. Daniela do Nascimento Cosmo, acompanhou de perto as eleições neste domingo e ao final do pleito declarou: “Avaliamos a eleição de forma positiva porque os trabalhos transcorreram sem nenhuma ocorrência, sem nenhuma prisão. O eleitor pôde comparecer à urna e manifestar seu voto livremente”.

Os eleitos devem ser diplomados no dia 26 de março e ficarão nos cargos até dezembro de 2024. Além de Pedro Velho, no Rio Grande do Norte, outros três municípios brasileiros também registraram Eleições Suplementares neste domingo: Massaranduba(PB), Gilbués (PI) e Dom Expedito Lopes (PI).

Entenda o caso

Esta é a segunda eleição suplementar realizada no município desde as Eleições Municipais de 2020. A outra eleição suplementar havia sido realizada em 27 de novembro de 2022 e elegeu Edna Lemos e Rejane Costa, como prefeita e vice, após a cassação da então prefeita Dejerlane Macedo e do vice-prefeito, Inácio Rafael da Costa, por abuso de poder político. Mas em 29 de novembro de 2023, Edna Lemos e Rejane Costa também tiveram seus mandatos cassados por prática de abuso de poder político.