Com a chegada das águas do rio São Francisco ao RN, aparece uma preocupação para os ecologistas locais: um invasor, o peixe Moenkhausia Costae, conhecido como “tetra fortuna”, que pode provocar um desequilíbrio no ecossistema da região e competir com as espécies nativas.

Um grupo de pesquisadores da UFPB, em parceria com estudiosos da UFRN, começam a estudar o assunto e as salvaguardas a serem tomadas.

O projeto de transposição do rio São Francisco envolveu a construção de mais de 700 quilômetros de canais de concreto em dois grandes eixos ao longo do território de quatro Estados do Nordeste brasileiro – Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte – para o desvio das águas do rio.

As obras foram iniciadas em 2007, e por conta de atrasos, têm o término previsto para 2022.

Comentários do Site

  1. Marcos Rocha.
    Responder

    Sempre fui e serei a favor da transposição do rio São Francisco para o Rio Grande do Norte, pois independente de qualquer argumento contra defenderei até a sua conclusão total,e não adianta achar que o povo é analfabeto, simplesmente a maioria infelizmente não tem a oportunidade de sonhar por dias melhores por causa desta corrupção desenfreada por parte de uma minoria de políticos.😬

Deixe um comentário