Autoridades da Califórnia se movem para tratar o coronavírus como endêmico

950A1B9E-8780-4CDC-BDCD-7BE8416F279A

Shawn Hubler para o The New York Times em 24/02/2021

SACRAMENTO – Enquanto especialistas em saúde alertam que o Covid-19 continuará sendo um elemento da vida após o atual surto passar, um grupo de legisladores da Califórnia lançou na segunda-feira um pacote de propostas destinadas a lidar com o coronavírus a longo prazo no mais  populoso estado norte-americano.

Em uma medida que trataria o vírus como sarampo e coqueluche – ameaças de longa data contra as quais a maioria dos americanos é vacinada na infância – os legisladores disseram que tentariam eliminar uma isenção por “crença pessoal” de obrigatoriedade para  crianças em idade escolar recebam vacinas contra o coronavírus.

Na semana passada, o grupo –  membros da maioria democrata na Assembleia Legislativa do Estado – apresentou um projeto de lei que permitiria que crianças de 12 anos ou mais fossem vacinadas contra o coronavírus, independentemente do consentimento dos pais, como é o caso da Califórnia para imunização contra hepatiteB e papilomavírus humano.

Propostas adicionais para proteção do local de trabalho e do consumidor e para combater a desinformação sobre vacinas são esperadas nas próximas semanas.

Em meio a um grande aumento de casos e hospitalizações impulsionados pela variante Ômicron, as propostas fazem parte de um esforço não apenas para reduzir infecções e fortalecer as proteções de saúde do estado, mas também para preparar o cenário para um futuro em que o vírus se torne um  risco gerenciável.

Em coletivas de imprensa este mês, o governador Gavin Newsom deu a entender que a política estatal em breve começará “a fase endêmica dessa realidade e como vivemos com futuras variantes”.

Na semana passada, um grupo de médicos da Universidade da Califórnia, em San Francisco, solicitou aos formuladores de políticas estaduais de saúde que flexibilizem os requisitos de uso de máscaras em escolas públicas, entre outras medidas de emergência.

“Você não pode simplesmente diminuir esse vírus, você precisa mantê-lo baixo”, disse o senador Richard Pan, pediatra de Sacramento que liderou os esforços do estado na política de vacinas e é o presidente do comitê de saúde do Senado.  “Com esses tipos de políticas fundamentais em vigor, esperamos poder suspender outras restrições mais intrusivas e menos eficazes, porque não há indicação de que o Covid esteja desaparecendo”.

As taxas de vacinação contra Covid da Califórnia estão entre as mais altas do país, com cerca de 67% das crianças de 12 a 17 anos totalmente vacinadas, aproximadamente o mesmo que a população geral do estado.  Dominado pelos democratas, que detêm uma supermaioria legislativa, o eleitorado apoiou amplamente a ênfase do estado na saúde pública.

A F.D.A.  concedeu autorização de emergência para a vacina da Pfizer em crianças de 5 a 15 anos, mas deu aprovação total apenas para pessoas com 16 anos ou mais.  O mandato não deve cobrir a maioria dos alunos até pelo menos julho.

Além disso, como a vacina foi adicionada à lista de imunização escolar pelo governador e não pelo Legislativo, a lei estadual exige que as famílias possam optar por não participar se suas crenças pessoais impedirem a vacinação.  O fechamento dessa brecha deve gerar uma reação feroz, assim como a proposta de permitir que crianças mais velhas sejam vacinadas contra o Covid-19 sem o consentimento dos pais.

Quando o surto de sarampo de 2014-15 na Disneylândia levou o estado a encerrar a isenção de crença pessoal para outras imunizações exigidas, os resistentes à vacina lotaram o Capitólio por semanas, gritando com legisladores nos corredores e assediando lobistas da saúde pública nas calçadas.

O senador Pan recebeu ameaças de morte e manifestantes invadiram a clínica odontológica de sua esposa.  Em 2019, após um endurecimento ainda maior das regras das vacinas, um ativista antivacina transmitiu-se ao vivo agredindo o senador do lado de fora de um restaurante de Sacramento.

O senador Pan disse que alinhar as políticas do Covid com as outras leis de vacinas da Califórnia, que estão entre as mais rígidas do país, ajudaria a aumentar as taxas de vacinação e minimizar as interrupções educacionais.

TL Comenta:

A tese que a variante Ômicron está transformando a pandemia em endemia, ainda tem poucos adeptos entre as autoridades sanitárias brasileiras.

O cenário internacional mostra uma tendência de se trocar a ideia de erradicação da Covid-19, pela convivência com a doença, sob risco gerenciável.

Esta onda, pode demorar um pouco, mas também vai chegar no Brasil.

Domicio Arruda

Aprendiz de Cronista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.