73DA1827-A5E1-4845-BBE3-CF6D703333A9

A Despedida (1890) – Philip Sadée


Profissionais da imprensa ao trocarem de endereço (ou prefixo) nem sempre têm direito a um último contato com o público, muitas vezes conquistado com perseverança ao longo de muitos anos.

Os outros veículos, concorrentes é que costumam dar a notícia. As causas. E o próximo destino.

Raros são os que têm a chance de apresentar as despedidas, a saudade e a esperança de um futuro retorno.

Em novos projetos pessoais, quem sabe, o reencontro?


(Publicação original em 20/09/2019)


A ÚLTIMA COLUNA

Terminar uma jornada que mal  começou, não é tarefa fácil.

Tão árdua quanto trazer para os leitores conquistados aos poucos, assuntos sempre  interessantes.

Quando do convite para fazer parte de equipe com ases destacados do jornalismo, uma ebulição de ideias.

Muitos textos já prontos na cabeça, precisando somente serem passados para o editor.

Com o tempo os assuntos foram rareando e as lembranças da infância desvanecendo.

Anotações no caderninho,  depois de alguns dias, transformadas em inscrições ininteligíveis, indecifráveis, verdadeiros hieróglifos egípcios.

O que fazer quando se descobre não ter mais ideia sobre nada. Será para sempre?

Cansado de esperar combustível inspirador, a memória de como se arranca um dente de leite, pode apontar um rumo.

Amarra-se a ponta de um barbante em volta e a outra na maçaneta. Fecha-se a porta com força. Sangra mas abre-se uma janela para o novo dente.

E para muitas outras oportunidades.

Com o último ato, a dolorida  tristeza e a nostalgia  antecipada de  uma derradeira coluna.

Hora de agradecer a atenção dos leitores e deixar um rastro de esperança.  O projeto inicial pode ser retomado a qualquer tempo.

Quem sabe, esporadicamente, no mesmo veículo, não se dê o emocionante reencontro com os leitores.

Depois de treze meses, dividindo um dos  espaços mais  nobres da imprensa  com Gregório Duvivier, Manuela Cantuária, Renato Terra, Flávia Boggio e José Simão, o comediante, ator e roteirista Daniel Furlan, confidenciou  todos estes sentimentos na abrupta despedida  da sua coluna semanal na Folha de São Paulo.

Vai deixar saudades.

 

Comentários do Site

Deixe um comentário