Do Radar na Veja 

André Mendonça faz um discurso emocional, misturando passagens de sua carreira, família e mensagens aos senadores, como a lembrança dos parlamentares que morreram durante a pandemia.

Há pouco, ele mandou uma mensagem direta ao golpismo bolsonarista, tão rejeitado no Senado.

“Me comprometo com a democracia”, disse o indicado de Jair Bolsonaro.

Mendonça, claro, não deixou de prestar contas ao chefe. Defendeu um Judiciário “sem ativismos e interferências indevidas”.

DO TL

Ele também tentou deixar claro que sua característica “terrivelmente evangélica” não é sua principal virtude e declarou que a Bíblia é para a vida, mas a Constituição é a lei maior a lhe guiar no STF.

Deixe um comentário