Desde as 14 h as redes sociais foram tomadas com cenas de estudantes do IF (Instituto Federal) sendo conduzidos por policiais para fora da escola.

Uma solicitação do interventor Josué Moreira nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Um grupo de alunos aproveitou o dia do estudante para fazer um manifesto –  segundo eles,  pacífico –  a favor do reitor mais votado e eleito, professor  José Arnóbio  que se manifestou:

Um verdadeiro absurdo o que está acontecendo no IFRN, interventor chama a PM que agride alunos… alunos faziam protesto pacífico em alusão ao dia do estudante e são agredidos… nunca vi essa cena em quase 26 anos como servidor. #possedoreitoreleitoja #forainterventor

A Governadora Fátima Bezerra mandou afastar o policial responsável pela ação:

Logo que tomei conhecimento do lamentável ocorrido hoje, no IFRN, acionei o @CoronelAraujoPM, e o cmte da PM, cel Alarico, e determinei prioridade na apuração do episódio. O PM que conduziu a operação será afastado das atividades operacionais até q a investigação seja concluída. 

Abaixo a nota do reitor “pro tempore”, o interventor, que não relatou qual a baderna,  além da “invasão” dos alunos no prédio da Reitoria.

Não foi a primeira vez que alunos dos Institutos Federais, Universidades Públicas e afins protagonizam manifestações barulhentas por suas causas. Certamente não será a última.

A novidade é deste “novo normal”, é a reação da farda turbinada por tempos estranhos em que a truculência insiste em substituir o diálogo, as divergências.

De conclusão, o certificado de incapacidade do interventor para o diálogo, convencimento, ouvir , ceder e avançar. Virtudes imprescindíveis no mundo acadêmico. No mundo democrático.

nota

Deixe um comentário