Testes no lixo: Ministro Pazuello pode responder por improbidade administrativa

o-sus-aplicou-5-milhotildees-de-testes-rt-pcr-ou-seja-o-paiacutes-pode-acabar-descartando-mais-exames-do-que-jaacute-realizou-ateacute-agora-1606079636692_v2_900x506

Agora  não se trata mais de uma questão subjetiva, de opinião, esquerda ou direta, proteção a CPFs ou CNPJs, isolamento ou liberou geral.

É um caso objetivo e concreto em que o Governo Federal  deveria ter agido com competência/responsabilidade  e não o fez.

Até o Presidente  Jair Bolsonaro preferiu negar a grave acusação, alegando que a parte do Governo Federal foi feita ao repassar os teste para os Governos estaduais e municipais.

Mas NÃO é verdade. E a acusação factual terá que ser enfrentada.

Hoje o Estadão registra que a revelação pelo jornal de que testes PCR (para detectar a covid-19) do Ministério da Saúde podem acabar no lixo fez procuradores e gestores da área da saúde nos Estados enxergarem nuvens carregas no horizonte do Ministro  Eduardo Pazuello.

O ministro pode ser alvo de uma possível ação de improbidade administrativa, avaliam. MINISTRO QUE SE CREDENCIOU PELA ESPECIALIZAÇÃO EM … LOGÍSTICA

Parlamentares acionaram a Procuradoria-Geral da República (PGR) e também o Tribunal de Contas da União (TCU). Querem se saber houve desperdício de recursos, negligência e inépcia do ministro.

“O fato toma contornos ainda mais impressionantes ao se observar que o atual ministro da Saúde, que é um general de Exército, (…) foi efetivado no cargo justamente com o discurso de que teria experiência como gestor de logística”, argumenta o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) em seu pedido.
Deputados do PSOL enviaram ofício para Célia Regina Delgado, coordenadora na PGR, solicitando investigação civil e penal “das possíveis ilegalidades” e a responsabilidade de Jair Bolsonaro e de Eduardo Pazuello.

One thought on “Testes no lixo: Ministro Pazuello pode responder por improbidade administrativa

  • 24 de novembro de 2020 em 09:22
    Permalink

    Imagine se não fosse especialista em logística. Imagine se fosse a mesma notícia em um estado do nordeste, ou em São Paulo, o que já teria dito o presidente Bolsonóquio.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.