UMA TRISTE RESENHA DE NATAL

2B56471B-11D7-4B6E-9D00-63D599F1C712
A Família (1924) – Tarsila do Amaral – Museu de Arte Reina Sofia, Madri


Não foi desta vez, que a paz voltou ao seio e corações das famílias.

As feridas que sangravam há um ano, ainda estão longe da cicatrização.

Daqui a algum tempo, quando os sites de relacionamento estiverem lembrando as fotos das festas deste ano, é que as ausências serão sentidas.

De quem justificou a falta por motivo sabidamente inexplicável, ou se presente, não quis dividir o mesmo espaço no álbum de recordações.

Não fosse tão rápido em seu trenó, o bom velhinho teria perdido o lugar que ocupa há séculos, para um vilão verde e asqueroso.

Grinch e seu espírito desmancha-prazer foram sentidos por toda a parte.

Não se sabe ainda ao certo como ele entrou em tantos lares.

Pelas chaminés, é que não foi.

Quase não as temos, em nossas casas semi-áridas.

Há quem considere que o motivo para tanta  comemoração foi desvirtuado.                         

Muito comercial.

Muita hipocrisia.

Os mais pragmáticos reclamam da rotina, que piora, do trânsito caótico, do sorvedouro de dinheiro e do estresse pra resolver tanta coisa, na última hora.

Há quem ache tudo que os outros adoram, de extremo mau gosto.

Só não conseguiram convencer disso, as crianças.

O conforto é que os Ebenezer Scrooges  sempre estarão recebendo a visita sazonal dos seus fantasmas.

De um dos três, ninguém se livra. Do que visita o passado, trazendo  lembranças felizes.                          Pelo menos, da noite que se repete todos os anos.

Do que continua, sem levar em conta as curvas da tortuosa estrada da vida, a preservar o sentimento, passado adiante, a quem tem muito caminho ainda a percorrer.

E do que mostra, em pesadelo, que o tempo avança, sem paradas nem recuos. Que a oportunidade perdida, não volta. E que o fim pode ser solitário e cruel.

Enquanto as divergências políticas  continuarem a expor as fragilidades familiares, o inferno serão os outros.

E o Natal, saudade.

***
(A Organização Mundial da Saúde só declarou “estado de pandemia” em 20/03/2020, três meses depois da publicação original deste texto, quando começaram novas desavenças familiares).

48CA5069-6FB2-45A5-A5CE-A1CC07966C82
A Cuca (1924) – Tarsila do Amaral – Museu de Grenoble, França

Domicio Arruda

Aprendiz de Cronista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.