Veja o vídeo:

 

 

Era para ser um dia de rotina nas etapas necessárias para o debate a aprovação do novo Plano Diretor de Natal.

Dede cedo, as primeiras postagens da vereadora Brisa Bracchi (PT) mostravam que a turma do MLB – Movimento de Luta os Bairros Vilas e Favelas – queria algo mais.

Eles estavam ali para evitar a eleição anunciada. E conseguiram.

Uma narrativa pré-anunciada que foram agredidos com spray de pimenta e truculência da força policial contra crianças, inclusive.

Em nota da Prefeitur, a o repudio:

A Prefeitura do Natal repudia tal procedimento e lamenta o ocorrido, tendo em vista que conduziu de forma transparente e democrática todo o processo, quando, após a decisão judicial, seguiu rigorosamente o que foi determinado e iniciou novamente os trâmites para a realização da Conferência Final de forma presencial.

O X da questão.

O processo que o MLB queria participar hoje foi convocado pelo Conselho da Cidade (Concidade) no dia 10 de dezembro, quando foram aprovadas as novas datas para a Pré-Conferência e Conferência do Plano Diretor.

O encerramento se deu em 28 de dezembro. Ou seja, existem regras, normas, prazos a seguir. Todos nós em sociedade estamos sujeitos a elas. É o que nos diferencia da ANARQUIA.

Mas o Movimento de … Lutas queria interferir num cronograma posto e divulgado com a devida publicidade.

O secretário de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Thiago Mesquita, tentou mediar o imbróglio – sem sucesso. Foi acusado pela jovem vereadora de tom agressivo,  “dedo apontado”contra sua pessoa.

Há controvérsias.

Ele não poderia, como não o fez, aceitar a truculência e balburdia contra o erário público, uma praça recém-reformada e de uso comum.  Votação cancelada e suspensa. Uma nova data será anunciada.

Prejuízo para quem mesmo ?

Para Natal que pede socorro – e não de hoje – por seu novo Plano Diretor.

Prejuízo para os que estiveram presente e tiveram suas lutas legítimas e pacíficas adiadas.

O saldo de hoje á a bagunça, a briga inócua , a falta de visão e propósito. A falta de compromisso com a coletividade.

A estreia da Vereadora Brisa dá um tom desagregador e desarmonioso que em nada oxigena a Câmara de Natal com os bons  ventos da juventude,  feminismo e voz das minorias.

As boas lutas não morrem com furacões; atemporais, intempestivos.

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    A vereadora Brisa, o projeto de tufão, estudou o plano diretor junto com a vereadora Divaneide? Por sinal, onde estava a vereadora Divaneide nessa hora? Sabe o que esse pessoal parece? Tudo, menos em sua maioria sendo de movimento de sem teto. Parece o oba-oba conhecido do PT.

    Brisa, que deve achar leve o nome com que foi registrada, acha que vai mudar a categoria para furacão. Se iluda vereadora, que quem planta vento, colhe tempestade. Natal não é quintal do PT, que quando traz uma coisa boa, outras 100 não prestam.

    Brisa e Carlos Bolsonaro, mais iguais impossível. Não sabe o cargo que ocupam, também não sabem lidar com a mansidão necessária para resolver o que é preciso. Tomara que Brisa também exija do Governo da professora Fátima mais moradias para os sem teto, inclusive em Natal.

Deixe um comentário