DE NOVO, FIQUE EM CASA!

B4E86A00-5DE1-4288-B82C-631F8966CFD9
Menina Loura – Robert Henri (1928)


Turbinada pelo medo da pandemia, a revolução do trabalho remoto decolou de vez e para quem, dentro das quatro paredes dos lares, ganha a vida e os salários na frente de uma tela de computador, não há limites na sua estratosfera.

Ao modismo, por necessidade ou defasagem tecnológica, uma única profissão ainda resiste off home. Os motoboys continuarão montando nas lambretas.

Cortando ruas, e comprovando que entre dois pontos, há distâncias menores que uma reta. Principalmente, se o  trânsito flui com lentidão.

Até que drones cheguem em revoada, seus empregos estarão preservados e em alta.

Compras  pela internet já atingiram o padrão-ouro de consumo, e não se discute a qualidade dos produtos, mesmo os que vêm da China, com intermediários.

Repassados por lojas baianas ou entregues pela Dona Luiza, do armarinho da esquina, há um novo jeito de ir às compras.

A logística garante o resto. Como nos velhos tempos, a satisfação do cliente, ou o dinheiro devolvido em crédito, no próximo extrato do cartão.

Na Medicina, a revolução dos conceitos não tem mais caminho de volta.

As naus que traziam conhecimentos acumulados nos porões, atravessaram o mar da ignorância, e  agora, ardem em chamas.

A geração que preserva as florestas em créditos de carbono e livros eletrônicos, têm mais títulos à disposição que a mais rica biblioteca do mundo.

Um paciente com indicação de cirurgia de grande porte, é apresentado a seu médico operador já sob os  efeitos sedativos do início da anestesia.

A confiança, já havia sido construída no olho no olho do teleatendimento.

Dúvidas,  a navegação tranquila no  portfólio atachado, havia dirimido todas.

Quem aguardava seus quinze minutos de atenção, em demoradas filas nas recepções das clínicas, recebendo inverossímeis desculpas pelo atraso crônico do facultativo, já faz seus acompanhamentos periódicos pelo WhatsApp.

O aviso que é tempo da renovação dos exames chega sem falta, e é insistente para quem tarda atender.

Um rápido inquérito é respondido, e se nada de notável  tiver ocorrido desde o último contato, o retorno é seguido da avaliação online,  em cinco estrelas douradas.

As orientações do esculápio nunca mais serão enganadas pela memória que falha, nem descumpridas por excesso, sem mais espaço para registro no cache biológico.

O novo cliente já está ativo no mercado e em pouco tempo é quem fará as escolhas.

A prova é dada pelo radiologista que incorporou  na planta da casa, uma  sala de laudos, já acostumado com a rotina de trabalho à distância, mas sentiu que a mudança terá de ser  muito mais veloz do que pensava.

A barricada que a filha de três anos organizou no front da guerra por mais convívio, impedindo a abertura da  porta de saída,  é a mais eloquente mensagem que para trabalhar, não existe melhor lugar.

-Fique em casa, papai!

9E01F480-31C5-4F59-B4B1-7DC5BF362DE2
Laura Schenkel Rocha Câmara é neta do autor do texto, e mora em Porto Alegre

Domicio Arruda

Aprendiz de Cronista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.