Passada a apuração das prévias do PSDB no último domingo, o saldo revela que o RN foi , sim, determinante para vitória do governador de São Paulo, João Doria.

O presidente da legenda e da Assembleia, deputado Ezequiel Ferreira de Souza confirmou sua liderança em números. Os cinco deputados estaduais, 31 prefeitos, 25 vices, 244 vereadores e quase 22 mil filiados foram decisivos.

Uma projeção revelada pela campanha de João Doria mostrou uma vitória no RN com 90% dos votos.

Os dados foram apurados por meio de “procedimentos separados e distintos”, como pesquisas presenciais e por telemarketing, WhatsApp e e-mail.

Depois de São Paulo, maior colégio do país nas prévias, o Rio Grande do Norte foi o Estado mais decisivo para Doria.

Foi  onde ele venceu com folga nos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Além de toda a bancada da Assembleia Legislativa ter também apoiado seu nome. Eram os pesos mais importantes nas regras da disputa.

Em todo Brasil, Doria venceu com 53,99%. Eduardo Leite teve 44,66% e Arthur Virgílio 1,35%.

O governador Eduardo Leite só teve um apoio importante e significativo no RN, o prefeito de Natal, Álvaro Dias. Mas como os leitores do TL já sabem, seu voto teve o mesmo peso dos demais prefeitos, todos fechados com Ezequiel e Doria.

APESAR DE SECRETO, A DECLARAÇÃO DE VOTO APONTOU… 

No RN, votaram em Brasília os prefeitos Iogo Queiroz (Jucurutu), Cinthia Sonale (Grossos), Lusimar Porfirio (São Francisco do Oeste), Dr. Tadeu (Caicó), Rossane Patriota (Ielmo Marinho), Saint Clay, o Galo (Florânia), Ivanildo Filho (Santa Cruz), Daniel Marinho (Nísia Floresta), Dr. Tiago Almeida (Parelhas), Joãozinho (Serra Caiada), Alcelio Barbosa (Caiçara do Norte), Raimundo Borges (Cerro Corá), Sergio Fernandes (Serra Negra do Norte), Pedro Henrique (Pedra Preta), Dr. Wellington Rocha (Boa Saúde), Juninho Alves (Caraúbas), Tiquinho (Ruy Barbosa), Fernando Teixeira (Espírito Santo), Iraneide Rebouças (Areia Branca), e Clécio Azevedo (Bom Jesus).

Também marcaram presença os vice-prefeitos Atilio (Parazinho), Manoel Felix (Triunfo Potiguar), Edson Trindade (Pedro Avelino), Humberto Gondim (Parelhas), Rodrigo Aladim (Macau), Riane Guedes (Jaçanã), Erivan Freitas (São Vicente), Francisco Kayrim (Pureza), Juliana Patrício (São Bento do Trairi), Toinho Venceslau (Espírito Santo), e Rosângela Nunes Patrício (Alexandria).

DO TL 

Agora, com a definição interna, Doria seguirá para seu maior desafio; emplacar seu nome como grande catalisador da chamada terceira via.

Ele terá que romper os 4, 5% que seu partido vem aparecendo nas pesquisas e se aproximar dos dois dígitos já alcançados pela “novidade” Sergio Moro, de quem se diz amigo e possível aliado em 2022.

Deixe um comentário