12 de abril de 2024
Turismo

Sebrae anuncia guia exclusivo para o segmento turismo de natureza

tur nat 3

O setor de Turismo foi um dos mais impactados pelo avanço da pandemia do coronavírus (Covid-19) tanto no Brasil quanto no restante do mundo. De acordo com a 6ª pesquisa de impacto realizada pelo Sebrae, em parceria com a FGV, no final de julho, o segmento está no topo da lista como um dos mais afetados pela pandemia.

Apesar das dificuldades, a análise da série histórica da pesquisa mostra que o segmento apresentou uma melhora ao longo dos últimos meses. As perdas de faturamento, que chegaram a 88% no final de março, atualmente estão em 74%.

Uma boa notícia é que a busca pelos destinos com oferta de turismo em área natural, sustentável, regional e de curta distância, segundo dados do Google, é a opção mais procurada pelos turistas, sinalizando que a retomada do turismo ocorrerá por destinos com essas características, por transmitir maior segurança.

Outros aspectos que favorecem esse tipo de experiência turística são suas características de operarem com grupos pequenos, em ambientes que têm pouco fluxo de pessoas, além de contato direto com a natureza e o ambiente rural. Dessa forma, o Sebrae acredita que há boas perspectivas para o setor durante a retomada, principalmente para os negócios que estiverem preparados para se reposicionar diante das mudanças de hábitos do turista por causa da pandemia.

tur nat 2

Atento às necessidades dos donos dos pequenos negócios que atuam no turismo, especificamente em áreas naturais, o Sebrae preparou um guia completo com dicas e orientações práticas para o retorno das atividades. Além de e-book, são oferecidos gratuitamente vídeos, check list, modelos de placas informativas e display para download, em página específica para o setor de Turismo em áreas naturais, no Portal do Sebrae.

Todo o material foi elaborado para facilitar o entendimento das normas e recomendações oficiais de autoridades de saúde e, com isso, possibilitar que os empresários se sintam mais confiantes para promover as adaptações necessárias para retornar às atividades de maneira segura e consistente.

O Sebrae também reconhece que a liberação do funcionamento dos estabelecimentos e locais turísticos, bem como espaços públicos, depende, fundamentalmente, das condições específicas de cada localidade e recomenda, em primeiro lugar, que os empresários fiquem atentos aos decretos e demais regulamentos vigentes na sua região.

Caso os empreendedores identifiquem alguma divergência de informações entre as medidas estaduais e municipais, a orientação do Sebrae é que optem por seguir a mais rígida, de preferência de acordo com as recomendações das autoridades oficiais de saúde, como Organização Mundial de Saúde (OMS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Saúde, entre outras. É importante, ainda, estar alerta às recomendações setoriais, pois possuem especificidades.