15 de junho de 2024
Destinos

Meu escritório é na praia: MTUR divulga lugares paradisíacos para trabalhar de forma remota – Pipa é destaque!

Você já ouviu falar em nomadismo digital? Esse estilo de vida é uma tendência que ganhou mais popularidade após a pandemia de Covid-19, por conta do trabalho remoto (ou home office), uma modalidade que permite que as pessoas trabalhem de casa. A partir daí, muita gente começou a perceber que é possível, sim, trabalhar de casa, mas também é possível trabalhar de qualquer lugar do Brasil.

Sendo uma das novidades para este ano citadas pelo Ministério do Turismo na Revista Tendências do Turismo – edição 2023, o nomadismo digital tem ganhado cada vez mais força e adeptos. Estimativas do Relatório Global de Tendências Migratórias de 2022, da Fragomen, apontam que o número de nômades digitais deve chegar a 1 bilhão de adeptos em todo o mundo.

E o mesmo documento ressalta a importância econômica destes trabalhadores para os locais, já que a renda de 40% deles ultrapassa os US$ 75 mil. Além do Brasil, países como Islândia, Tailândia, Emirados Árabes, Costa Rica, Grécia e Argentina já aderiram aos vistos para nômades digitais.

Entretanto, é preciso deixar claro que nem toda pessoa que trabalha de forma remota é considerada um nômade digital, pois os nômades digitais são aqueles que trabalham à distância, viajam ao mesmo tempo e que buscam conhecer variedade de locais de tempos em tempos, se movimentando pelos destinos.

Essa união de trabalho e viagem favorece o turismo nacional, e faz com que o nômade digital, ou aquela pessoa que consegue viajar enquanto trabalha (mesmo que seja por um período específico) aproveite para conhecer os atrativos do destino “escritório” da vez. Se você faz parte do grupo que trabalha de onde dá, aí vão algumas dicas de lugares paradisíacos para você pegar o computador e exercer o seu ofício ao mesmo tempo que em aprecia paisagens monumentais:

VILA NÔMADE – A primeira parada é em local paradisíaco: a Praia de Pipa, em Tibau do Sul (RN). Isso porque o lugar vai receber a primeira Vila Nômade instalada na América do Sul, fazendo com que o Brasil seja pioneiro na região.

A iniciativa foi fruto de articulação do Ministério do Turismo com a Nomadx – uma das maiores empresas do segmento no mundo e responsável pela ideia. O local foi o escolhido por ser um destino que une natureza, uma boa conexão com a internet, segurança e tranquilidade.

ILHA DA MAGIA – A querida Florianópolis (SC), ou “Floripa” para os íntimos, também é destino paradisíaco que deve estar na lista dos nômades. A cidade é conhecida como “Ilha da Magia” e faz jus ao nome: variedade de baladas, bons restaurantes, praias espetaculares, um pôr do sol que aquece o coração de tão lindo, e uma boa conexão de internet. Resumindo: o combo perfeito para um nômade digital, pois Floripa mistura o requinte da cidade grande com a calmaria de um ambiente natural.

SOSSEGO – Seja praia de água salgada ou de água doce, o nome digital ou o trabalhador remoto que viaja Brasil adentro, tem que dar uma passadinha em Itacaré (BA). O primeiro é simplesmente um dos destinos mais bonitos do litoral da Bahia, coberto pela Mata Atlântica e abrigando praias praticamente desertas. Por lá, o trabalhador viajante entra em contato com a tranquilidade oferecida pela região, onde é possível conhecer os atrativos andando. O clima é de cidade pequena e com infraestrutura ideal para o trabalho.

FRIO DA SERRA – Outro paraíso que deixa marcado a experiência da vida nômade é Guaramiranga (CE). Em estilo colonial e lembrando a arquitetura suíça (por isso mesmo é conhecida como a “suíça cearense”), Guaramiranga desperta a curiosidade do turista por ter aquele ar europeu, com clima frio e chuva fina, em pleno estado do Ceará, conhecido por suas belezas naturais que envolvem o calor.

Na “suíça cearense, o viajante também encontra as belezas da mata frondosa. Aproveite e estenda a viagem para o município vizinho, Mulungu (CE), que vai proporcionar uma imersão na natureza e um café colonial delicioso, produzido organicamente na região.

VIAGEM NO TEMPO – Para aqueles nômades que curtem uma pegada histórica, o “escritório” vai ser Ouro Preto (MG). Palco da Inconfidência Mineira e recheada de monumentos, a cidade respira história e o nômade que se sentar em algum café ou restaurante ou caminhar pelas ruas de Ouro Preto vai voltar no tempo e perceber a grandeza de um período histórico.

Maior conjunto barroco do mundo e uma das principais regiões do ciclo do ouro, a cidade é um museu a céu aberto e foi o primeiro sítio brasileiro considerado Patrimônio Mundial pela UNESCO.

MAIS CONECTIVIDADE – No mês passado, a ministra do Turismo, Daniela Carneiro, participou da primeira reunião do ano da Associação Nacional de Secretários e Dirigentes Municipais de Turismo (Anseditur). Na ocasião, debateu a respeito da necessidade de ampliação da conectividade à internet em destinos turísticos, possibilitando, inclusive, o desenvolvimento de vilas nômades digitais no país.

*Com informações de MTUR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *