Dicas para curtir a Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros é um dos destinos apontados como preferidos para viagens em 2021. Pouco menos de 2h30 de estrada o separam de Brasília. Verdadeiro paraíso natural repleto de paisagens incríveis, cachoeiras de águas claras, riachos, trilhas pela mata e cânions, o local possui cerca de 655 km² de natureza em seu mais puro estado. Um oásis para o corpo e para a mente não muito longe da capital federal, centro administrativo do país e um excelente ponto de partida para desbravar todas as belezas do cerrado.

Mas qual a melhor época para se aventurar pela Chapada dos Veadeiros?

– Melhor época

A melhor época para se visitar a Chapada dos Veadeiros é entre os meses de maio e setembro, período de seca. Com a ausência das chuvas, a paisagem se torna ainda mais bonita no cerrado, sobretudo no finalzinho da tarde, com um belíssimo pôr do sol. A temperatura também ajuda a tornar o ambiente ainda mais agradável na alta temporada. Mesmo no inverno os dias costumam ser quentes, ensolarados e quase que perfeitos para curtir o dia nas cachoeiras. As águas, no entanto, não apresentam o mesmo fresco. A dica é pular de uma vez e relaxar. De noite a temperatura cai.

Entre os meses de outubro e abril, ao contrário do período de seca, as chuvas dominam o lugar e oferecem experiências um tanto quanto diferentes para o turista. Há de se tomar cuidado com o iminente risco das trombas d’água, principalmente entre dezembro e janeiro, que é quando mais chove. A única certeza, no entanto, é que independentemente da época, a Chapada dos Veadeiros continuará sendo bela de janeiro a janeiro.

– O que ver e fazer?

Opções de lazer e entretenimento na Chapada dos Veadeiros é o que não faltam. O local é simplesmente perfeito para quem ama natureza e não vive sem uma boa trilha e, claro, um refrescante banho de cachoeira. As quedas d’água, aliás, são o grande destaque da região. Há de tudo um pouco. Desde formações naturais com águas cristalinas e calmas à cascatas enormes e de difícil acesso até mesmo de carro.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é a principal atração da região. Localizado entre as “cidades bases” de Alto do Paraíso, Cavalcante e São Jorge, o parque abriga os roteiros mais famosos e reconhecidos da região. A biodiversidade local, aliás, alçou o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros ao título de Patrimônio Mundial da UNESCO.

Afora o parque, algumas formações naturais, como o famoso Vale da Lua, ou as cachoeiras do Segredo, Almécegas I e II, Loquinhas, Santa Bárbara e dos Macaquinhos, apenas citando algumas, também merece uma generosa visita.

– Experiência completa

Nem só de quedas d’água vive o turismo na Chapada dos Veadeiros. As cidades de Alto Paraíso, Cavalcante e São Jorge abrigam uma grande variedade de restaurantes com pratos cheios de sabor e culinária muito bem temperada, bares aconchegantes para um happy-hour e um comércio repleto de peças produzidas por artesãos locais. Não estranhe ao encontrar ets, naves espaciais, cristais e outros artefatos exotéricos espalhados pelas lojinhas locais. O misticismo é bastante comum nessa região. Inclusive em práticas de bem-estar, como terapias e tratamentos holísticos para o corpo e para a mente.

– Esticadinha até Brasília

Na ida ou na volta, combinar a Chapada dos Veadeiros com capital federal pode ser uma excelente ideia para sair da rotina e conhecer o cerrado como um todo. Longe de ser apenas uma cidade-dormitório, onde transitam apenas políticos e executivos engravatados, Brasília apresenta um lado cosmopolita só seu, onde exibe endereços charmosos e estrelados no âmbito da gastronomia, da diversão e do lazer.

Hospedagem em Brasília:

As opções são muitas, mas hoje vamos destacar o B Hotel. Inaugurado em 2018, o local sugere uma nova forma de viver a intrigante e curiosa capital do país. Projeto do renomado arquiteto Isay Weinfeld, ele presta homenagem à Brasilia, ao adotar os famosos cobogós, pilotis e vãos abertos, características marcantes da arquitetura da cidade. Os 306 apartamentos e Suites se distribuem por 15 andares, e vão de 28 a 280 m2.

Na cobertura, – onde ficam a piscina e o Bar 16-  hóspedes e passantes podem desfrutar de drinks, petiscos e do famoso entardecer que colore toda a cidade. A gastronomia é um capítulo à parte, sob o comando do talentoso chef Jean-Yves Poirey, que adiciona às receitas clássicas francesas pitadas contemporâneas e regionais, no restaurante Térreo, em um lobby amplo e elegante. Para eventos e convenções, o B Hotel disponibiliza Foyer, além de salas espaçosas e modernas atendendo até 400 pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.