25 de abril de 2024
NatalRio Grande do Norte

Demora na engorda da praia de Ponta Negra gera repúdio e preocupa setor hoteleiro de Natal

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio Grande do Norte (ABIH-RN) expressou seu repúdio à demora no processo de engorda da praia de Ponta Negra, principal ponto turístico de Natal. Após uma reunião realizada em abril, onde representantes de órgãos como Ibama, Idema e Semurb estiveram presentes, os hotéis da região esperavam que a transferência de areia fosse concluída em 90 dias. No entanto, após 50 dias, o processo ainda aguarda a avaliação de três setores do Ibama.

A ABIH-RN, considerando o turismo como a principal indústria geradora de emprego e renda em Natal, solicita ação imediata das autoridades competentes para solucionar esse problema que já perdura por décadas. O alargamento de faixas de areia em outras cidades brasileiras, como Balneário Camboriú e Florianópolis, demonstra a importância dessa medida para o desenvolvimento econômico e turístico local. A associação também busca apoio de parlamentares e setores público e privado para agilizar a realização da obra que promete impulsionar o crescimento da cidade.

Confira a nota na íntegra:

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio Grande do Norte (ABIH-RN), manifesta seu total repúdio a negligência que vem sendo tratada na tramitação no processo de engorda de Ponta Negra, principal zona turística de Natal.

Como noticiado na imprensa, a transferência foi pactuada em reunião realizada no dia 25 de abril, com presença de representantes do Ibama, do Idema, da Semurb, entre outros órgãos. Na ocasião, segundo o Secretário Municipal de Infraestrutura de Natal, Carlson Gomes, os técnicos do Ibama haviam previsto um prazo de 90 dias. Passados 50 dias do encontro, o processo ainda depende da avaliação de três setores do órgão.

Considerando que o turismo é a principal indústria de emprego e renda do município de Natal, e que a praia de Ponta Negra é o cartão postal da cidade, reivindicamos total empenho dos órgãos competentes na resolução deste problema que já se estende há décadas.

O alargamento da faixa de areia da praia já foi realizado em outras cidades brasileiras, exemplos disso é Balneário Camboriú, Guarda do Embaú, localizada na cidade de Palhoça, em Balneário Piçarras e na praia de Canasvieiras, em Florianópolis – Santa Catarina.

As medidas são tanto para amenizar a disputa por espaço quanto para resolver problemas causados pelo avanço do mar. Além disso, a obra é diretamente ligada ao desenvolvimento econômico e turístico das cidades.

Buscamos também o apoio de parlamentares, setores públicos e privados para juntos cobrarmos e acelerarmos a obra que trará desenvolvimento para a cidade.

Diretoria da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio Grande do Norte (ABIH-RN).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *