15 de junho de 2024
Sem categoria

A quem interessa o Exame de Ordem???

O artigo publicado pelo jornal Tribuna do Norte, deste sábado, traz a opinião do advogado gaúcho Carlos Dirnei Fogaça Maidana sobre o Exame de Ordem. Na opinião dele, o Exame de Ordem é inconstitucional, injusto e arbitrário. Carlos Maidana faz uma análise interessante sobre a maior “dor de cabeça” de milhares de bacharéis de Direito que tem que se submeter a uma avaliação para poder exercer, de fato, a profissão.

“O curso de direito deveria receber o mesmo tratamento dado aos demais cursos superiores, regidos pela Lei nº 9.3394/1996, que diz no art. 43: A educação superior tem por finalidade formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptos a inserção em setores profissionais e para a participação no desenvolvimento da sociedade brasileira”, diz o advogado.  Ele aproveita para fazer alguns questionamentos importantes, como:  O Exame de Ordem mede a qualidade de ensino jurídico e a capacidade profissional do advogado? A quem interessa o Exame? E para quê? Carlos Maidana conclui dizendo que o critério adotado pela OAB é o mais cômodo e covarde, atua sobre os mais fracos: os recém formados.

 

 

 

16 thoughts on “A quem interessa o Exame de Ordem???

  • Pedro Paulo

    Como avaliação o Exame da Ordem é totalmente precário, pois não se trata de uma avaliação continua que acompanha o aluno desde sua entrada na universidade, mas de uma avaliação momentânea dada em um único momento.

    Resposta
  • carlos alexandre silva

    eu penso que os outros cursos é que deveriam seguir o exemplo do curso de direito e impor um teste de avaliaçao ao final do curso. é uma vergonha um ser humano passar 4 ou 5 anos estudando (pelo menos é o que se espera) e nao ser aprovado num exame destes. se tivesse concorrencia como um concurso era outra coisa mais nao atingir nota de corte é praticamente imoral. é um temerário imaginar a qualidade de doutores advogados (sim pq advogado se acha) que virão depois que derrubarem o exame da OAB.

    Resposta
  • Helder

    Na minha opinião, o exame de ordem não só é justo como também necessário. Separa o joio do trigo. Hoje 80% dos advogados não são competentes e a maioria esmagadora dos estudantes de direito estão fazendo o curso porque está na moda e porque acham no primeiro momento que tem uma possibilidade de se tornarem um juiz ou promotor. O exame deve continuar e deveria ser estendido para todas os cursos superiores, especialmente os da área médica. Injusto é só ter o exame de ordem para o curso de direito. Poque não para medicina, odontologia etc… Imaginem um médico,filhinho de papai que nunca conseguiu mostrar competência para entrar em uma Federal fazendo um exame de ordem do CRM… seria justo esse exame.

    Resposta
  • Botelho

    O Exame de Ordem interessa à sociedade, que precisa de proteção contra os maus profissionais. Os mais fracos não são os recém-formados, que tiveram dinheiro para pagar a faculdade. Os mais fracos são as pessoas que precisam de assistência jurídica, e, sem o exame, poderiam recorrer a um profissional desqualificado que não consegue sequer passar num concurso sem concorrência.

    Resposta
  • Anita

    Acho justissimo o Exame da Ordem, e inclusive era pra ter um exame desses para cada curso de nível superior, especialmente os da área da Saúde.

    Resposta
  • Bruno

    É uma questão simples de português, não existe curso de advocacia…, o que existe é o curso de bacharelado em direito!!! A advocacia é apenas umas das espécies de carreira que o bacharel em direito poderá seguir com a sua graduação.
    Essa palhaçada sobre o fim do exame de ordem tá tomando uma proporção tão grande, que dentro de pouco tempo vão propor também o fim do vestibular, usando o mesmo argumento: “essa prova não serve para qualificar ninguém, já que o aluno passou por mais de 10 anos sofrendo exaustivamente com trabalhos, provas, etc.”

    Resposta
  • Wallyson

    O exame de ordem é justissimo.
    Os operadores do Direito tem que sair da faculdade com o mínimo de conhecimento, para honrar a advocacia.

    Resposta
  • Luis Henrique

    O exame de ordem é o único filtro que existe para proteger a sociedade e advogados mediocres. O sistema atual é perfeito? Não, mas é o melhor que já encontramos e, de tão eficiente, incomoda os donos de faculdades de má qualidade.
    Se invertigarmos bem, estes que se manifestam contrariamente ao exame da ordem tem algum interesse escuso. Não se engane, o lobby das faculdades privadas é fortíssimo e é ele quem vem bancando essa campanha.
    Exame da ordem = meritocracia = qualidade profissional

    Resposta
  • Márcia Ferreira

    O problema não é o exame de ordem, mas o que ele revela. Ou seja, que as faculdades não ensinam o mínimo necessário para que o recém-formado possa exercer suas atividades com respaldo e conhecimento. Inúmeros profissionais da área mostram deficiência de conhecimentos mesmo conseguindo passar pela “peneira” promovida pelo exame da OAB, imagine então aqueles que ficaram retidos devido ao mal desempenho nas provas.
    Acho, sim, que este tipo de exame deveria ser estendido a diversos outros cursos, sobretudo medicina e engenharia, pois os profissionais destes ramos, se não devidamente preparados e instruídos, podem causar diversos danos, chegando, inclusive, a comprometer a vida de muitas pessoas que buscam seus serviços.

    Resposta
  • Gabriel

    Na minha opinião, contestar o Exame de Ordem é reforçar um coro repleto de lamúrias.

    Nada mais justo do que este Exame para frear o desembestado trem dos cursos de Direito que crescem a todo instante e, por conseguinte, abrigam uma reca de estudantes despreparados.

    Acertada foi a decisão do CFC, em instituir, igualmente, o seu exame de proficiência.

    Que os advogados e contadores, devidamente gabaritados e examinados, sejam vistos com os melhores olhos da sociedade.

    Resposta
  • Pedro Meirelles

    O exame da OAB interessa à sociedade e deve servir de exemplo às demais profissões. Além de emprestar o mínimo de credibilidade ao futuro advogado, serve de garantia mínima ao futuro cliente. Valoriza a classe, pois é sabido que hoje em dia qualquer “porta” entra numa faculdade de Direito e (pasmém) logra êxito nas avaliações acadêmicas que em nada avaliam o aluno. EXAME DE ORDEM, SIM!

    Resposta
  • geraldo moreira lima

    Inconstitucional, injusto e arbitrário é a maneira como escolinhas que se propoem a ensinar Direito, o fazem com um baixo nivel tecnico, como meras arapucas caça niqueis , despejando profissionais no mercado sem a minha condição de exercer a profissão. Aguardem pois algo muito mais grave vai ocorrer com Medicina, onde é muito pior, pois vidas estarão (ou já estão) em jogo.

    Resposta
  • catarina

    se fosse para avaliar somente por que cobram tanto a inscriçao? mais parece um meio de arrecadar uma boa quantia para a OAB. o ministério público deveria fazer uma auditoria nas OABS para saber para onde vai todo o dinheiro destas inscriçoes!!!!!!1

    Resposta
  • Priscila Castellani Pacini

    Quem aqui nunca viu o presidente da OAB no “Jornal Nacional” dando entrevistas acerca de diversos assuntos ou quem já não se deparou com declarações do Ophir no jornal de domingo ou em revistas como “época”, “isto é”, e dentre outros veículos de comunicação dando declarações sobre diversos assuntos, sendo a grande maioria sobre fraudes no Poder Público.
    .
    No entanto, a Polícia Federal desta vez faz uma investigação sobre a fraude ocorrida no exame de ordem em 2009, um esquema gigantesco que consistia em venda de questões da prova por cerca de R$ 50 mil (aliás que bacharel desempregado que tem 50 mil? é fácil de se imaginar que este bacharel advém das classes altas da sociedade), assim quando começam à advogar com a “carteira comprada” presume-se que não possuem a ética necessária para o exercício da advocacia, afinal, quem pagou um gabarito e participou de uma fraude para exercer a profissão, teria limites éticos no quando for defender uma causa? Evidentemente não.
    .
    Como a própria matéria diz: foi descoberta uma “lambança”, particularmente não acredito que apenas a descoberta da fraude seria a lambança mas sim deixar impune todos os envolvidos, e de fato está prestes à acontecer. A PF não irá punir criminalmente os envolvidos e a OAB não irá punir disciplinarmente, assim apesar de 3 anos de investigação para desvendar a fraude ainda temos que ler notícias como estas: http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2012-07-12/coladores-das-provas-da-oab-ficarao-sem-punicao-diz-delegado.html
    ou http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/54614-a-caixa-preta-do-exame-da-oab.shtml
    Isto sim é uma lambança, ou melhor é lastimável.
    .
    Como se não bastasse além da fraude ainda temos mais de mil advogados que colaram na prova da OAB, naquele famoso método “olhando para a prova do lado”, futuros doutores colando como se estivessem na prova do ensino fundametal da escola, e apesar da PF ter identificado os envolvidos com um sistema de informática apropriado, já era de se esperar: ninguém será punido! Alías o exame da OAB já teve outro escândalo em 2007 com a venda dos gabaritos da prova pela própria banca examinadora, e nada aconteceu.
    .
    Afinal que punição teria a a OAB se o pensamento que predomina na atual sociedade é: “pode mais quem tem mais R$.” Assim, é perfeitamente admissível que tudo termine em PIZZA, como já estamos acostumados à assistir isso aqui no Brasil.
    .
    Anualmente diversos bacharéis se tornam advogados, no entanto percebe-se que poucos dos doutores possuem ética, tendo em vista que antes mesmo de exercer a profissão, já tentam por meios obscuros “trapacear” para alcançar seus objetivos.
    .
    Pra que acabar com o exame de ordem? ou pra que ainda se assustar com a descoberta de alguma fraude? o exame da OAB vai muito bem, obrigado. rendendo lucros milhonários à esta instituição, que não precisa declarar no Imposto de Renda, o que faz com o montante das inscrições?
    .
    Não vou aqui entrar no mérito da dificuldade das questões da prova, no entanto é perfeitamente notório o seguinte pensamento: “quanto mais bacharéis reprovarem, melhor! mais dinheiro de inscrições no exame seguinte”.
    .
    Além do mais, não vemos a menor intenção da OAB para limpar a própria imagem, aliás depois que o exame de ordem teve o julgamento da constitucionalidade no STF em outubro de 2011 a OAB passou à ter a seguinte postura: “comigo ninguém pode”!
    .
    Afinal o que dizer de uma entidade que se denomina Autarquia Sui Generis?
    .
    Enfim, este texto é apenas uma opinião que não precisa ser necessariamente digerida pelos leitores deste blog.
    .
    Afinal quem sou eu diante da veneranda OAB e seu poder supremo?
    .
    Abraços à todos.
    .

    Resposta
  • newton silva

    será que os advogados ais antigos de profissão conseguiriam passar no exame da ordem ?

    Resposta
  • Rodrigo

    Sou a favor do exame de ordem, porém na forma atual ele e ineficiente para sociedade e injusto com os bacharéis.

    Virou uma forma de arrecadação violenta para a OAB, pois cada inscrição custa R$ 200,00 e a maioria dos bacharéis não passa na primeira fase, o que gera uma despesa para a OAB muito menor para a segunda fase, minha sugestão é um candidato que passar na primeira fase de uma exame e não passar na segunda
    tenha o direito de no próximo exame fazer apenas a segunda fase, seria o mínimo, mais a OAB não faz isso pois como ela justificaria a cobrança dos absurdos R$ 200,00.

    Acabar com o exame jamais, porém tem que sofrer modificação, e para fazer uma comentário a uma pessoa que postou aqui, se os juízes ou promotores passariam no exame, com certeza nos assustaríamos com os resultados, não que nossos juízes e promotores não tenham capacidade, mais sim que o método de avaliação não condiz com a realidade do judiciário brasileiro, muitas questões só se aplicam na letra da lei e não pelos tribunais do País.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *